segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

FMI eleva previsão de crescimento para o Brasil em 2020


Dezenas de contêineres empilhados

Fonte: DW

O Fundo Monetário Internacional (FMI) melhorou a previsão de crescimento para o Brasil em 2020, rebaixando ligeiramente o prognóstico de crescimento da economia global para 3,3% em 2020 e 3,4% em 2021. 
Em relação ao relatório de outubro, a projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) mundial para 2020 tem uma queda de 0,1 ponto percentual, enquanto a estimativa para a alta de 2021 foi reduzida em 0,2 ponto percentual.
As cifras constam da mais recente atualização do World Economic Outlook, avaliação da economia mundial publicada anualmente em abril e revisada ao longo dos 12 meses seguintes.
O relatório foi apresentado nesta segunda-feira (20/01) pela economista-chefe da organização, Gita Gopinath, no Fórum Econômico Mundial em Davos.
Segundo ela, o PIB brasileiro deve crescer 2,2% neste ano – alta de 0,2 ponto percentual em relação à previsão divulgada em outubro – e 2,3% em 2021, redução de 0,1 ponto em comparação com o relatório anterior.
O FMI também elevou a estimativa de crescimento da economia brasileira em 2019, de 0,9% para 1,2% – superior à previsão do governo federal, que prevê alta de 1,12%. O resultado final do PIB do ano passado deve ser divulgado em março pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Para justificar a melhora das projeções para o Brasil, o FMI cita a aprovação da reforma da Previdência e a melhora das expectativas na área de mineração, após um período de incerteza marcado pela ruptura da barragem da Vale em Brumadinho (MG).
O documento também destaca que a economia da América Latina está se recuperando e crescerá 1,6% em 2020 e 2,3% em 2021, com ajuda do Brasil e apesar da piora das previsões de expansão para o México e da agitação civil no Chile.
O documento destaca alguns elementos positivos a nível mundial, como a sensação de que a atividade manufatureira e o comércio internacional tocaram o fundo do poço e que agora só podem melhorar.
Como justificativa para as previsões em relação à economia global, o documento cita a aplicação de políticas monetárias menos rígidas, as boas notícias sobre o conflito comercial entre a China e os Estados Unidos, assim como a diminuição das chances de ocorrer um Brexit duro.
Esses sinais, ainda segundo o relatório, podem contribuir para um aumento dos gastos de famílias e empresas, embora, por outro lado, persistam tensões geopolíticas, particularmente entre os EUA e o Irã.
Na visão do FMI, o recente confronto entre os dois países pode piorar ainda mais as relações entre Washington e os seus parceiros comerciais, e alargar o que chamou de atrito econômico entre outros países, levando a uma rápida deterioração do sentimento econômico.
Para os EUA, o fundo prevê um crescimento de 2% em 2020, em comparação com uma estimativa de 2,3% em 2019, e de 1,7% em 2021, devido à perspectiva de o presidente americano, Donald Trump, dar sequência a uma política fiscal demasiado neutra.
Os números da China, apesar da desaceleração observada pelo FMI, estão longe dos de outros países: crescerá 6% em neste ano e 5,8% no ano que vem. Mesmo assim, continuará a sua tendência descendente, que já levou a uma expansão de 6,1% em 2019, a taxa mais baixa desde 1990.
No entanto, o FMI também prevê um maior grau de cooperação multilateral e entende que os Estados devem se proteger contra riscos, melhorando seu setor financeiro e sua política fiscal, sem esquecer a luta contra as emissões de gases de efeito estufa.
No último trimestre de 2019, o crescimento dos mercados emergentes – em que o FMI inclui Índia, México e África do Sul – foi mais fraco do que o estimado pelo próprio FMI em outubro do ano passado, em grande parte devido à queda da demanda interna.
Os riscos para a economia global permanecem sob controle, e o FMI percebeu que a estabilidade do mercado persiste, fator que contribuiu para o declínio do conflito entre a China e os EUA.


domingo, 19 de janeiro de 2020

Grupos de renovação já contabilizam 71 pré-candidatos em capitais de 21 estados



Fonte: Via BG

O interesse crescente pelos grupos e movimentos de renovação e formação política no País vai se refletir nas eleições municipais deste ano. Em 2019, com a persistente crise de representatividade dos partidos tradicionais, o número de alunos e apoiadores destes grupos se multiplicou. O fenômeno deverá resultar em um boom de candidaturas majoritárias associadas a organizações suprapartidárias que formam lideranças ou que buscam renovar a prática política. O levantamento do Estado foi publicado pelo Estadão Conteúdo.
Faltando nove meses para as eleições municipais, ao menos 71 egressos desses movimentos civis já manifestaram interesse em concorrer em capitais de ao menos 21 Estados. A participação em grupos de formação política se tornou uma credencial para candidaturas, o que leva partidos a disputarem os novatos oferecendo estrutura material e suporte.

SÓ NA BAIXA DA ÉGUA! KKKKK Senador petista quer o controle das redes sociais



Fonte: O Antagonista

Está pronto para votação na CCJ do Senado o projeto que prevê a criação da Instituição Independente de Acompanhamento das Mídias Sociais, órgão assessor do Conselho de Comunicação do Congresso Nacional.
O projeto, de autoria do senador petista Humberto Costa, tem por objetivo criar um órgão que analise as chamadas “fake news” nas redes sociais.
Uma das atribuições da instituição será elaborar e publicar estudos sobre o uso das redes.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Fantástico perde quase metade da audiência em 20 anos, diz site


Crédito: Reprodução/Instagram

Fonte: IstoÉ

Apesar de ainda ser um dos programas de maior audiência da televisão brasileira aos domingos, o Fantástico não tem mais o ibope que tinha antigamente. De acordo com informações do Notícias da TV, a revista eletrônica perdeu quase metade de seu público desde 2000.
No fim do século 20, por exemplo, o programa, que atualmente é apresentado por Tadeu Schmitt e Poliana Abritta chegava a marcar 34,3 pontos de média no Ibope, enquanto que nos dias de hoje tem apresentado média de 19,3, rendendo uma queda de 43,7%.
Ainda segundo o Notícias da TV, considerando a porcentagem de televisores ligados, o ano de 2019 foi o pior da história do Fantástico, que estreou na tela da Globo em 1973. No horário da atração, 29,7% da audiência sintonizou na Globo, enquanto que em 2000 essa marca era de 49,2%.

Falta de certeza em relação ao 737 MAX leva Malaysia Airlines a suspender entregas



Fonte: aeromagazine 

A Malaysia Airlines comunicou a Boeing que suspendeu o recebimento dos 737 MAX que deveriam ocorrer este ano. A empresa malaia afirmou que a decisão ocorreu após a falta de informações a respeito da retomada dos voos pelo modelo.
“Como ainda não há clareza de várias autoridades [aeronáuticas] sobre seu retorno, nossa auditoria técnica ainda está em andamento”, afirmou a Malaysia Airlines em comunicado.
Havia a previsão que a companhia recebesse 25 aviões ao longo do ano, mas os constantes atrasos na recertificação levaram ao cancelamento das entregas, marcando mais um revés para a Boeing que registrou em 2019 sua pior carteira de pedidos líquidos, somado ao menor número de entregas de aviões em onze anos.
Em nota a Malaysia Airlines afirmou que a suspensão dos recebimentos ocorre em vista da paralização da produção do 737 MAX e dos constantes atrasos no retorno ao serviço do modelo. Atualmente a Boeing não possui mais uma data final, evitando estipular prazos após as constantes mudanças no cronograma no ano passado. A expectativa era que as autoridades de aviação civil dos Estados Unidos tivessem restabelecido as autorizações de voo em dezembro de 2019, o que foi novamente postergado.
 Boeing sofre pressão para conseguir cumprir as mudanças de projeto e recolocar o avião em serviço e trabalha para amenizar os prejuízos causados pela suspenção dos voos, que em março completará um ano. Recentemente a fabricante iniciou uma série de acordos de compensação financeira com seus principais clientes.
“Estamos trabalhando para oferecer suporte a eles [Malaysia Airlines] e a todos os nossos clientes de todas as formas possíveis, para garantir total confiança no 737 MAX e uma retomada segua dos voos comerciais”, afirmou a Boeing em comunicado.
Caso a Boeing receba as autorizações e certificações necessárias da FAA, a agência de aviação civil dos Estados Unidos, até o final de janeiro, o mercado acredita que o 737 MAX poderá retomar sua operação comercial no início de junho.

Instituto emite alerta de chuva com 'perigo potencial' e ventos de até 60 km por hora em 73 municípios do RN


Alerta amarelo do Inmet com "perigo potencial" para cidades do Nordeste — Foto: Reprodução/Inmet

Fonte: G1/RN

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) publicou aviso com alerta que vale das 10h desta sexta-feira (17) às 9h deste sábado (18) em uma área do Nordeste que abrange 73 municípios potiguares.
O alerta aponta para a ocorrência de chuvas com volume de 20 e 30 milímetros por hora ou até 50 mm/dia, ventos intensos de 40 a 60 km/h. Municípios do Piauí e do Ceará também foram listados no alerta.
Ainda de acordo com o Inmet, há baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas.
Em caso de rajadas de vento, o instituto orientou que a população não se abrigue debaixo de árvores e não estacione veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda.
Outra recomendação é evitar usar aparelhos eletrônicos ligados à tomada.

Confira as cidades potiguares com alerta

  1. Afonso Bezerra
  2. Alto Do Rodrigues
  3. Angicos
  4. Areia Branca
  5. Arez
  6. Açu
  7. Baraúna
  8. Barcelona
  9. Baía Formosa
  10. Bento Fernandes
  11. Bom Jesus
  12. Brejinho
  13. Caiçara Do Norte
  14. Caiçara do Rio do Vento
  15. Canguaretama
  16. Carnaubais
  17. Ceará-Mirim
  18. Espírito Santo
  19. Extremoz
  20. Fernando Pedroza
  21. Galinhos
  22. Goianinha
  23. Grossos
  24. Guamaré
  25. Ielmo Marinho
  26. Ipanguaçu
  27. Jandaíra
  28. Januário Cicco
  29. Jardim de Angicos
  30. João Câmara
  31. Jundiá
  32. Lagoa De Pedras
  33. Lagoa De Velhos
  34. Lagoa Salgada
  35. Lajes
  36. Macau
  37. Macaíba
  38. Maxaranguape
  39. Monte Alegre
  40. Mossoró
  41. Natal
  42. Nísia Floresta
  43. Parazinho
  44. Parnamirim
  45. Pedra Grande
  46. Pedra Preta
  47. Pedro Avelino
  48. Pendências
  49. Porto do Mangue
  50. Poço Branco
  51. Pureza
  52. Riachuelo
  53. Rio do Fogo
  54. Ruy Barbosa
  55. Santa Maria
  56. Senador Elói de Souza
  57. Senador Georgino Avelino
  58. Serra Caiada
  59. Serra do Mel
  60. São Bento Do Norte
  61. São Gonçalo do Amarante
  62. São José de Mipibu
  63. São Miguel do Gostoso
  64. São Paulo Do Potengi
  65. São Pedro
  66. São Tomé
  67. Taipu
  68. Tibau
  69. Tibau do Sul
  70. Touros
  71. Vera Cruz
  72. Vila Flor
  73. Várzea

Brasil ultrapassará EUA como maior produtor de soja


Resultado de imagem para foto de Brasil ultrapassará EUA como maior produtor de soja

Fonte: AgroLink

O Brasil deve se tornar o principal produtor mundial de soja, ultrapassando os Estados Unidos, de acordo com um relatório da Rede Global de Informações Agrícolas do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Durante a temporada 2019/2020, a previsão de área plantada de soja no Brasil é revisada em até 36,8 milhões de hectares. 
No entanto, o relatório disse que há muita incerteza quanto à demanda chinesa devido ao surto generalizado de febre suína africana (PSF), que reduziu o rebanho suíno da China e diminui suas necessidades alimentares. "Além disso, os produtores estão seguindo profundamente a trégua comercial emergente entre os EUA e a China. Eles estão cientes de que um acordo comercial entre Washington e Pequim quase certamente diminuirá as exportações brasileiras e exercerá pressão descendente sobre os preços da soja no Brasil", indica o texto. 
Nesse cenário, o texto prevê que a safra de soja 2019/2020 do Brasil seja uma safra recorde de 123,5 milhões de toneladas em comparação com o recorde anterior na temporada 2017/2018 de 122 milhões de toneladas. Em comparação, a Estimativa Mundial da Oferta e Demanda Agrícola (WASDE), emitida pelo USDA, espera que a colheita de soja nos EUA seja inferior a 100 milhões de toneladas em 2019/2020, uma queda de 20% em relação à temporada anterior. 
O mau tempo afetou negativamente a safra de soja dos EUA, tanto na área plantada quanto na produtividade. No ano de 2019-2020, o Brasil prevê exportar 75 milhões de toneladas de soja, mas o relatório espera uma redução na demanda da China devido ao surto de ASF e um possível acordo comercial entre os Estados Unidos e a China. 

A DEGRADAÇÃO DO CARÁTER: Delações da Odebrecht envolvem todos os ex-presidentes vivos


Sarney, Lula, Dilma, Temer, FHC e Collor na cerimônia de inauguração da Comissão Nacional da Verdade, em 2012

Fonte: DW

O fim do sigilo sobre as delações da Odebrecht e da lista do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, nesta terça-feira (11/04), revelou menções ou pedidos de inquéritos envolvendo todos os cinco ex-presidente brasileiros vivos.
Apenas no caso de Fernando Collor já existe a abertura de um novo inquérito. No caso de Luiz Inácio Lula da Silva, foram feitos seis pedidos. No de José Sarney, Dilma Rousseff e Fernando Henrique Cardoso, existem menções em delações que foram enviadas para diferentes tribunais. Veja o que disseram executivos e ex-executivos da Odebrecht contra cada um dos ex-presidentes:
José Sarney (1985-1990)
O ex-presidente e ex-senador é mencionado numa delação da Odebrecht que envolve propinas na construção da ferrovia Norte-Sul, cuja obra foi iniciada no governo Sarney. De acordo com as delações dos executivos Pedro Augusto Carneiro Leão Neto e João Antônio Pacífico Ferreira, figuras do círculo político do ex-presidente receberam entre 2008 e 2009 cerca de 1% sobre o contrato da obra.
As acusações constam no pedido de abertura de inquérito contra o deputado federal Milton Conti (PR-SP). As informações sobre Sarney, passadas pelos delatores da Odebrecht, foram encaminhadas à Justiça de Goiás.
Sarney já é alvo de um inquérito no Supremo por suspeita de obstrução da Justiça no âmbito da Lava Jato, junto com os senadores Romero Jucá (PMDB-RR) e Renan Calheiros (PMDB-AL). O caso se refere à conversa grampeada que o ex-presidente teve com o ex-diretor da Petrobras Sérgio Machado.
Segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Renan e Sarney prometeram a Machado que iriam acionar o advogado Eduardo Ferrão e o ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Cesar Asfor Rocha para influenciar uma decisão do STF sobre um possível desmembramento do inquérito que envolvia o ex-diretor. Sarney não comentou o caso.
Fernando Collor de Mello (1990-1992)
Único ex-presidente com foro privilegiado, já que ainda mantém uma cadeira no Senado, Collor é o único da relação que já é alvo de um inquérito aberto com base nas delações da Odebrecht. O seu caso não foi encaminhando para outros tribunais, permanecendo no Supremo. O relator da Lava Jato, Edson Fachin, já determinou a abertura do inquérito.
Collor é suspeito de ter recebido 800 mil reais de propina e caixa 2 para a sua campanha ao Senado em 2010. Segundo os delatores da Odebrecht, o valor foi pago pelo grupo em espécie. Em troca do dinheiro, Collor teria se comprometido a atuar a favor do grupo no Legislativo. Na planilha de políticos beneficiados por propinas pagas pela empresa, Collor era tratado com o apelido de "Roxinho”.
Antes da decisão de Fachin, o ex-presidente já era alvo de cinco inquéritos no Supremo por suspeita de envolvimento no esquema de corrupção investigado pela Lava Jato. Em um deles, o senador já foi denunciado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, sob a acusação de receber 29 milhões de reais em propina em troca de influenciar contratos da BR Distribuidora. A aceitação da denúncia ainda não foi avaliada pelo Supremo.
Investigadores da Lava Jato apontaram que Collor comprou veículos de luxo para lavar o dinheiro. Entre os veículos, um Lamborghini avaliado em 3,2 milhões de reais e uma Ferrari de 1,45 milhão.
Collor não comentou a abertura do inquérito.
Fernando Henrique Cardoso (1995-2002)
Em sua delação, Emílio Odebrecht, presidente do Conselho de Administração da Organização Odebrecht, disse ter pago "vantagens indevidas não contabilizadas” para as campanhas de Fernando Henrique à Presidência da República em 1994 e 1998.
"Ajuda de campanha eu sempre dei a todos eles. E a ele [FHC] eu também dei. E com certeza teve ajuda de caixa oficial e não oficial. Se ele soube ou não, eu não sei", disse Emílio.
Em resposta, FHC disse que desconhece eventuais gastos de campanha citados por Emílio Odebrecht. "Não tenho nada a esconder, nada a temer e vou ver com calma do que se trata. Por enquanto, não há nada especifico, é tudo muito vago”, disse, em um vídeo.
A delação envolvendo FHC foi enviada para a Justiça Federal em São Paulo.
Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010)
O ex-presidente se tornou alvo de seis pedidos de inquéritos baseados nas delações da Odebrecht. Todos eles foram enviados para a Justiça Federal do Paraná, onde o petista já é réu em duas ações penais. Lula também é réu em três outros casos no Distrito Federal.
Os novos pedidos envolvem tanto a suspeita de lobby promovido pelo ex-presidente em favor da Odebrecht quanto ao pagamento de mesadas para seus parentes.
Agora cabe ao juiz Sérgio Moro decidir pela abertura de novos inquéritos ou se eles vão ser incorporados aos já existentes que tramitam contra o ex-presidente no Paraná.
A defesa do petista disse que as acusações são "frívolas" e que não há provas contra o ex-presidente. 
Dilma Rousseff (2011-2016)
A ex-presidente foi mencionada. Em uma das delações, Emílio Odebrecht disse que Dilma foi "responsável pelo favorecimento” da empresa Tractebel-Suez na licitação para construção da Usina Hidrelétrica de Jirau, em Rondônia. À época da licitação, Dilma era chefe da Casa Civil do governo Lula.
Segundo o depoimento, executivos da Odebrecht dizem ter pedido ajuda de Lula para reverter a vitória da empresa na concorrência, mas Lula teria preferido "não contrariar a então presidente Dilma Rousseff, vista como responsável pelo favorecimento da Tractebel".
Em outro depoimento, o ex-executivo Alexandrino Alencar citou pagamentos ilegais para a campanha de Dilma em 2014. Segundo Alencar, o dinheiro foi pago por intermédio do assessor Manoel Sobrinho, a pedido de Edinho Silva, que foi o tesoureiro da petista.
Não são citados valores, mas em seu depoimento, Marcelo Odebrecht, ex-presidente da empreiteira, disse que pagou 150 milhões de reais à campanha da petista, parte dele em caixa 2. Uma parte desse valor foi repassada como pagamento da edição de medidas provisórias que beneficiaram a Odebrecht ainda no governo Lula.
Outro pacote de delações foi arrolado com o nome de Dilma. Elas narraram que o governo Lula agiu em diversos momentos nos anos 2000 para beneficiar a expansão da Braskem, o braço petroquímico da Odebrecht. Em troca, milhões de reais teriam sido repassados para campanhas eleitorais do PT. Os depoimentos não citam quais teriam sido as irregularidades cometidas por Dilma.
Parte das delações que envolvem Dilma serão encaminhadas para o Tribunal Regional Federal (TRF) da 3ª Região, porque estão atrelados a Edinho Silva, que hoje é prefeito de Araraquara (SP). O restante foi encaminhado para a Justiça Federal do Paraná.
A presidente já é alvo de um inquérito no Distrito Federal por suspeita de obstrução de Justiça  O caso envolve o episódio da nomeação de Lula como ministro em 2016.
Quando o sigilo sobre todas as delações foi extinto, Dilma divulgou nota afirmando que "vem sendo vítima de vazamentos seletivos e direcionados há meses". Ela não comentou o conteúdo das delações.

CAMPANHA: Diga NÃO aos políticos que apoiam o Fundo Partidário!



Não importa que ele seja da direita, da esquerda ou do centro! Pergunta direta, qual a necessidade de fundos bilionários para sustentar essa pouca vergonha? O povo em massa nas ruas para protestar contra esse absurdo. Deputados e Senadores custam bilhões ao país, regalias e um Congresso desmoralizado, uma indecência que vai além dos limites da tolerância de brasileiros que apoiam esse tipo de política. Por que há tanta compra de votos? Por que à saúde, educação, segurança, serviços em geral estão tão fragilizados? Campanha, não eleja, nem reeleja políticos que apoiam fundo partidário. 

Deixe seu apoio curtindo nossa página no FACEBOOK, AQUI. Espalhe nos whatsapp, em países desenvolvidos não existe fundos financiando campanhas, mas, financiando os serviços públicos e o povo. 

Saiba quem são os políticos e partidos que aprovaram essa aberração, AQUI

Natália Bonavides do (PT) É A pior parlamentar do RN em 2019



Fonte:Agora RN 

O Ranking dos Políticos, projeto que compara o desempenho dos parlamentares brasileiros no Congresso Nacional, apontou a deputada federal Natália Bonavides (PT) como a pior representante do Rio Grande do Norte no Legislativo. Conforme os critérios adotados pela instituição, a petista acumula impressionantes 309 pontos negativos. Ela está bem a frente da segunda pior colocada pelo Estado, a senadora Zenaide Maia (Pros), que acumulou 166 pontos negativos.
Por presença nas sessões, Natália recebeu 13 pontos, mas ficou com -2 em privilégios - item que compara o valor gasto pelo político, no período total do mandato, com a média de gastos dos demais parlamentares no mesmo período. A petista somou mais 25 pontos dessa vez por ter formação profissional, ter permanecido filiada ao mesmo partido e por abrir mão de aposentadoria especial.

118 anos de cadeia para o MOLUSCO


Resultado de imagem para FOTO DE LULA GAY

Fonte: O Antagonista 


“Lula pode pegar até 118 anos de prisão”, diz o Estadão.
“Além do processo do triplex, o ex-presidente responde a outros seis processos, que podem dar a ele pesadas sanções penais – a pena mínima, somadas as que estão previstas para os crimes atribuídos ao petista, chegam a 29 anos, sem contar a já aplicada a ele no caso do imóvel do Guarujá.”
Só um indulto salva Lula.
É por isso que ele precisa sair da cadeia o quanto antes e eleger o próximo presidente da República.

Confiança do empresário do comércio tem melhor janeiro desde 2013




Fonte: Agência Brasil

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) atingiu em janeiro deste ano 126,6 pontos, em uma escala de zero a 200. É o maior patamar para um mês de janeiro desde 2013. O resultado é 2% maior que o observado em dezembro e 4,7% maior do que o registrado em janeiro de 2019.
Os dados foram divulgados hoje (16) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Na comparação com dezembro de 2019, as intenções de investimento cresceram 2,5%, puxadas pela intenção de contratação de funcionários (4,7%). A avaliação dos empresários sobre as condições atuais subiu 1,4%, puxada pela maior confiança na economia (3,2%). Já a expectativa em relação ao futuro cresceu 1,7%, com destaque também para a avaliação sobre a economia (2,7%).
Na comparação com janeiro do ano passado, no entanto, a alta de 4,7% foi puxada pela avaliação sobre o momento atual, com crescimento de 17,9%. A confiança no momento atual da economia teve alta de 23,4%. As intenções de investimento cresceram 4,1%, puxada pelos investimentos na empresa (10,3%). As expectativas sobre o futuro tiveram queda de 2,3%.

"Governo anuncia aumento de 12,84% no piso salarial dos professores


O Presidente da República, Jair Bolsonaro e o ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Fonte: Gazeta do Povo

"Acompanhado do presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Educação Abraham Weintraub confirmou que os professores da educação básica terão reajuste de 12,84% na remuneração. A medida representa ganho real, com aumento acima da inflação de 2019 (o IPCA fechou o ano em 4,31%). Aplicado o índice, o piso sobe dos R$ 2.557 para R$ 2.886. Weintraub participou da costumeira live transmitida pelo presidente da República às quintas-feiras em seu Facebook, e destacou que que o piso nacional é o "salário de referência, na maior parte dos estados e municípios ele reajusta toda a cadeia". Em meio ao anúncio, Jair Bolsonaro criticou governadores, "em especial do Nordeste", que teriam solicitado que o reajuste fosse vetado para redirecionar os recursos para outras áreas."

Café: comercialização avança para 77% e ultrapassa média dos últimos anos


Café

Fonte: Canal Rual

A comercialização da safra de café do Brasil 2019/2020 chegou a 77% até o dia 13 de janeiro, segundo apontou relatório realizado pela consultoria Safras & Mercado. Em relação ao último  levantamento, de 10 de dezembro, a comercialização evoluiu em 6 pontos percentuais.
As vendas estão adiantadas em relação ao ano passado, quando 68% da safra 2018/2019 estava comercializada até então. A comercialização está também acima da média dos últimos 5 anos, que é de 73% para esta época.
Com isso, já foram comercializadas 43,92 milhões de sacas de 60 quilos, tomando-se por base a estimativa da consultoria, de uma safra 2019/2020 de café brasileira de 57,05 milhões de sacas.
Segundo o consultor de Safras & Mercado, Gil Barabach, o produtor soube aproveitar bem a disparada do preço, o que explica o bom fluxo de venda ao longo de dezembro. “Isso apesar de questões tributárias e do natural arrefecimento das negociações no período de festas de final de ano. Um jeito do produtor contornar a questão tributária foi fechar negócio para receber no começo de janeiro. Em todo caso, o mercado seguiu muito ativo, o que é plenamente justificável visto os preços extremamente atrativos”, comentou.
Destaque para o arábica, com comercialização chegando a 76% da safra. As vendas desses cafés estão bem acima de igual época do ano passado, com 65%, e também mais altas que a média para o período, 72%. As vendas de conilon também ganharam ritmo e alcançam 79% da safra, acima de igual período do ano passado e média dos últimos 5 anos para o período, ambas com 77%. 

Marinha abre navio de guerra à visitação pública nesta sexta (17) em Natal


Fragata da União, da Marinha do Brasil, será aberta à visitação pública nesta sexta-feira (16) em Natal — Foto: Marinha do Brasil/Divulgação

Fonte: G1 RN

A Marinha do Brasil vai abrir a Fragata União à visitação pública nesta sexta-feira (17), das 9h às 13h, em Natal. Os interessados terão acesso ao navio pelo terminal marítimo de passageiros do Porto de Natal, no bairro da Ribeira, na Zona Leste.
Na ocasião, a população erá a oportunidade de conhecer o navio que está atuando na Operação Aspitantex-2020, que incluirá a terceira fase da Operação Amazônia Azul - Mar Limpo é Vida!
Construída no Rio de Janeiro e incorporada à Marinha do Brasil em 1980, a fragata tem atuado ao longo de sua história em missões nacionais e internacionais.
De acordo com a força, a embarcação é equipada com modernos sensores e armamento e está capacitada para ações de guerra antiaérea, antissubmarino e de superfície.
"Além da Fragata União, participa também dos exercícios na costa potiguar a Fragata Liberal. Ambas integraram a Força-Tarefa Marítima da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (FTM-UNIFIL)", informou a Marinha.