sexta-feira, 18 de agosto de 2017

STF deve abrir inquérito contra Robinson e Fábio, noticia a revista Veja



Fonte: Veja

Alvo de uma operação por desvios na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, o governador Robinson Faria (PSD) tem uma outra dor de cabeça — talvez maior — com a Polícia Federal. O Supremo Tribunal Federal (STF) deverá atender em breve o pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) para abrir inquérito contra o governador e seu filho, o deputado federal Fabio Faria (PSD).
 Os dois foram implicados na delação premiada do ex-executivo da JBS Ricardo Saud, segundo quem foram repassados 10 milhões de reais em troca do contrato de privatização da Companhia de Água e Esgoto do estado.
 As delações da JBS estão nas mãos do ministro Edson Fachin, mas a tendência é que o caso seja redistribuído por não ter ligação umbilical com a Lava Jato.
Os Faria já são investigados em inquéritos instaurados após as delações dos executivos da Odebrecht, que apontaram repasse de 350 000 mil para Robinson, e 100 000 para Fabio. A empresa estava interessada em obras de saneamento.
Em tempo, à Justiça Eleitoral, Robinson Faria declarou ter recebido 8,5 milhões de reais do grupo JBS, mais da metade de tudo o que custou sua campanha.

PROPAGANDA É COM DUDÚ DA KOMBI

Professores da UERN aprovam indicativo de greve para o dia 1º de setembro



Fonte: Defato

Os docentes da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) aprovaram na manhã desta sexta-feira, 18, indicativo de greve para o dia 1º de setembro. Na data, a categoria vai decidir se paralisa as atividades por tempo indeterminado.
Em nota, a Aduern afirma que a decisão da categoria é fruto da intensificação dos ataques à universidade, promovida pelo Governo de Robinson Faria. Órgão esclarece que os docentes da UERN estão há 4 anos sem realinhamento salarial, sendo descumprido seu Plano de Cargos e Salários (PCS), além de conviver com falta de condições estruturais e materiais em seu local trabalho.
“O estopim desta crise são os 18 meses de recorrentes atrasos salariais, que tem tornado insustentável o funcionamento da instituição”, revela a Aduern.
A Diretoria avaliou a decisão como muito importante, uma vez que mostrou o descontentamento da categoria com a situação vivida pela universidade. A presidenta do Diretório Central dos Estudantes, Plúvia de Oliveira, esteve presente na assembleia e reafirmou o apoio à decisão dos professores.
“Os estudantes estão aqui hoje para mostrar nosso apoio à decisão dos docentes. Queremos fortalecer a unidade entre todos os segmentos e avançar na ideia de que nossa luta é conjunta” afirmou a representante.
A realização desta assembleia foi definida a partir de encaminhamento da assembleia realizada no último dia 26.
Na ocasião, os docentes definiram que é momento de pautar a situação da universidade e construir medidas concretas na luta contra os recorrentes atrasos salariais e o descumprimento do Plano de Cargos e Salários (PCS) dos servidores da UERN.

Polícia mata cinco supostos terroristas em tiroteio na Catalunha



Fonte: EFE 

A polícia do governo regional da Catalunha matou na noite desta quinta-feira (17) pelo menos quatro supostos terroristas no município de Cambrils, na província de Tarragona, na Espanha, durante uma operação relacionada com um possível atentado após o ataque ocorrido em Barcelona. As informações são da Agência EFE.
As autoridades catalãs informaram que os quatro supostos membros da célula terrorista teriam usado um veículo para atropelar várias pessoas no centro de Cambrils, que ficaram feridas. Após o atentado, os policiais interceptaram os terroristas e mataram quatro deles a tiros, enquanto um quinto criminoso ficou gravemente ferido.
Na madrugada desta sexta-feira (horário local), a polícia da região autônoma da Catalunha confirmou a morte do quinto integrante do grupo terrorista.
Segundo fontes policiais, os terroristas levavam coletes de explosivos presos ao corpo.
Novo ataque
O incidente aconteceu horas depois que outro ataque matou 13 pessoas e deixou quase 100 feridos após usar uma van para atropelar os pedestres que passeavam por Las Ramblas, o calçadão turístico de Barcelona.
As autoridades catalãs agora investigam a possível relação entre o atentado de Barcelona e o cometido pelos terroristas abatidos em Cambrils.
Por meio das redes sociais, os policiais pediram aos moradores de Cambrils que não saiam às ruas e não se coloquem em perigo.


Estudo da USP embasa lista dos 10 maiores sites de "falsas notícias" no Brasil


Estudo da USP embasa lista dos 10 maiores sites de

Fonte: Isso é notícia 

(Este post foi editado, corrigindo o crédito do levantamento para a AEPPSP com base nos critérios do grupo de estudos da USP e não à USP propriamente, como divulgado inicialmente. O blog pede desculpas aos leitores pelo erro de apuração)
Um levantamento feito pela Associação dos Especialistas em Políticas Públicas de São Paulo (AEPPSP), com base em critérios de um grupo de estudo da Universidade de São Paulo (USP), identificou os maiores sites de notícias do Brasil que disseminam informações falsas, não-checadas ou boatos pela internet, as chamadas notícias de "pós-verdades".
estudou da AEPPSP utilizou os critérios do "Monitor do Debate Político no Meio Digital" - criado por pesquisadores da USP -, uma ferramenta que contabiliza compartilhamentos de notícias no Facebook e dá uma dimensão do alcance de notícias publicadas por sites que se prestam ao serviço de construir conteúdo político "pós-verdadeiro" para o público brasileiro.
Não são sites de empresas da grande mídia comercial, tampouco veículos de mídia alternativa com corpo editorial transparente, jornalistas que se responsabilizam pela integridade das reportagens que assinam, ou articulistas que assinam artigos de opinião.
Tratam-se de sites cujas "notícias" não têm autoria, são anônimos e estão bombando nas bolhas sociais criadas pelo Facebook e proliferam boatos, calúnias, difamações e até correntes de WhatsApp.
Características em comum
Todos os principais sites que se encaixam no conceito de "pós-verdade" no Brasil possuem algumas características em comum:
1. Foram registrados com domínio .com ou .org (sem o .br no final), o que dificulta a identificação de seus responsáveis com a mesma transparência que os domínios registados no Brasil.
2. Não possuem qualquer página identificando seus administradores, corpo editorial ou jornalistas. Quando existe, a página 'Quem Somos' não diz nada que permita identificar as pessoas responsáveis pelo site e seu conteúdo.
3. As "notícias" não são assinadas.
4. As "notícias" são cheias de opiniões — cujos autores também não são identificados — e discursos de ódio (haters).
5. Intensiva publicação de novas "notícias" a cada poucos minutos ou horas.
6. Possuem nomes parecidos com os de outros sites jornalísticos ou blogs autorais já bastante difundidos.
7. Seus layouts deliberadamente poluídos e confusos fazem-lhes parecer grandes sites de notícias, o que lhes confere credibilidade para usuários mais leigos.
8. São repletas de propagandas (ads do Google), o que significa que a cada nova visualização o dono do site recebe alguns centavos (estamos falando de páginas cujos conteúdos são compartilhados dezenas ou centenas de milhares de vezes por dia no Facebook).
A imagem pode conter: texto

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Van atropela pessoas e deixa vários feridos em Barcelona, diz polícia



Fonte: Reuters

MADRI (Reuters) - Uma van atropelou dezenas de pessoas no centro de Barcelona, informou a polícia local nesta quinta-feira.
Diversas pessoas ficaram feridas na "enorme colisão", disse a polícia no Twitter.
Os serviços de emergência da região orientaram o público a evitar a área perto da Praça da Catalunha.
Reportagem da redação de Madrid

A imagem pode conter: texto

Um mês após lançamento de programa de mobilidade, adesão de municípios é baixa



Fonte: Agência Brasil 

Pouco mais de um mês após a abertura, pelo Ministério das Cidades, de linha de financiamento para elaboração de planos de mobilidade urbana, apenas 87 municípios, dentre os mais de 1,6 mil que pertencem à faixa contemplada, tiveram o cadastro aprovado. O financiamento do Programa de Infraestrutura de Transporte e da Mobilidade Urbana (Pró-Transporte) foi lançado em 12 de julho, para municípios de até 250 mil habitantes.
A pasta não soube informar, no entanto, quantos municípios dentre os aprovados foram contemplados para financiar especificamente o plano de mobilidade, para investir de forma planejada para melhorar a locomoção nas cidades. Pelo programa, além dos planos, é possível financiar também sistemas de transporte público coletivo, qualificação viária, transporte não motorizado, estudos e projetos.
A Agência Brasil publica a partir de hoje uma série de matérias especiais Mobilidade urbana, um desafio para as cidades brasileiras. A baixa eficiência no uso do espaço urbano em transporte, ou seja, a escolha que as pessoas fazem para se deslocar, é um dos principais aspectos que impactam a mobilidade. Segundo o Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP), enquanto uma pessoa, ao caminhar, ocupa 0,8m², ela pode chegar a ocupar 60m², se optar por fazer deslocamento similar em um automóvel particular.
Mobilidade urbana
A decisão sobre qual transporte usar leva em consideração os fatores segurança, disponibilidade de informação, custo e comodidade, além da disponibilidade e infraestrutura adequada de transporte, segundo o coordenador do Centro Interdisciplinar de Estudos em Transportes da UnB, Pastor Willy Gonzales.
Para ele, todos os elementos que compõem o sistema de mobilidade devem funcionar em conjunto. “Um sistema de mobilidade urbana refere-se à infraestrutura, à parte normativa, aos vários elementos que possibilitam às pessoas deslocar no espaço urbano, dentro deles o transporte público e o transporte privado”, afirmou.
Adiamento do prazo
O plano de mobilidade foi instituído em 2012, por meio da lei que criou a Política Nacional de Mobilidade Urbana. Após tramitar por 17 anos, a lei nº 12.587/2012 estipulava o prazo de três anos para que os mais de 1,7 mil municípios com população superior a 20 mil habitantes entregassem seus planos. Em 2015, apenas 500 prefeituras conseguiram cumprir o primeiro prazo estabelecido, que foi posteriormente alterado pela lei 13.406/2016. Com a mudança, além do limite de entrega ter sido estendido para abril de 2018, os planos de mobilidade terão de ser compatibilizados com os planos diretores municipais.
Segundo a gerente de projetos do Ministério das Cidades, Martha Martorelli, a mudança impactou diretamente no andamento dos planos de mobilidade: muitos municípios suspenderam a elaboração do plano e atuam sem uma programação. “Um grande gargalo seriam essas obras e empreendimentos e intervenções sem planejamento, porque na mobilidade urbana isso se esgota rapidamente. Então, fazer o plano de mobilidade urbana é fundamental. Porque a partir daí, qualquer investimento vai ser mais efetivo para a sociedade”, disse.
De acordo com o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, os municípios não conseguirão cumprir o novo prazo para a entrega dos planos. A expectativa é que haja um avanço de cerca de 5% no que já foi entregue. “Os municípios não têm estrutura de engenheiros de obras para poder elaborar os documentos. Não temos estrutura técnica, nem financeira, para fazer”, afirmou.
Origem dos recursos
Para Paulo Ziulkoski, a viabilidade dos planos aumentaria caso os municípios se organizassem em consórcios para a realização de um plano regional. Ainda assim, ele considera que as cidades teriam dificuldade em executar o planejamento por falta de orçamento, uma das principais barreiras identificadas para elaboração.“O Brasil vive uma crise e logicamente que ela atingiu os municípios”, afirmou.
Desde a criação da política de mobilidade, os municípios pleiteiam recursos para viabilizar a elaboração dos planos. Uma minoria deles foi financiada por meio de emendas parlamentares. Segundo o presidente da CNM, os municípios não têm como pegar empréstimos, já que muitos estão endividados atualmente.
Como solução, Ziulkoski propõe o repasse direto do Orçamento Geral da União a fundo perdido. “Não adianta querer apertar o prefeito ou município que não tem como fazer. Primeiro, quem tem que dizer como fazer é a União, que fez a lei. Se ela tem vontade de terminar com o analfabetismo no Brasil, tem que dizer como é que vai terminar e como é que ela vai ajudar. Não é criar a lei e dizer: 'nós vamos ajudar técnica e financeiramente'”, argumenta.
Recentemente, o ministro das Cidades, Bruno Araújo, anunciou o lançamento do programa Avançar Cidades Mobilidade, que prevê R$ 3,7 bilhões para financiamentos de ações no setor. A gerente de projetos Martha Martorelli explica que os municípios com mais de 100 mil habitantes que ainda não têm o plano de mobilidade urbana e que apresentarem proposta de empreendimento terão que solicitar empréstimo para a elaboração do plano, no qual o projeto deverá ser inserido. “Assim a gente garante que esses recursos que eles vão utilizar sejam mais efetivos e surtam mais efeito”.
Cumprimento de metas
O Brasil e outros 192 países se comprometeram a tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis. Este é um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas para 2030. Para alcançar esses objetivos, foram descritas 169 metas – muitas envolvendo a mobilidade urbana. Mas, assim como em outros lugares no mundo, os municípios brasileiros ainda têm grandes desafios para atingir essas metas.
O professor Gonzales considera que, embora o Brasil já tenha diretrizes estabelecidas pela Política Nacional de Mobilidade Urbana, falta implementá-las, para que as cidades se aproximem das metas. “As ações que permitem implementar as diretrizes é o que está falhando. Existe uma espécie de vácuo, como se a ponte entre um lugar e outro tivesse caído, ou é fictícia, e não permite que se implemente a lei. Embora existam algumas ações interessantes, mas também muito pontuais”, diz.

A pele de tilápia (que ia para o lixo) vira “o ovo de Colombo” no tratamento de queimaduras


Médicos aplicam pele de tilápia em um bebê de um ano e meio, queimado com água quente, no Instituto Dr. José Frota.

Fonte: Elpais

Deitado em uma cama de hospital, o balconista Francisco Rostana Gabriel, 22, tem as duas pernas e um braço cobertos com pele de peixe. Faz dez dias que ele está internado no núcleo de queimados do Instituto Dr. José Frota, hospital municipal de Fortaleza. Depois de tantos dias, a pele do peixe se transformou em uma espécie de couro, e aderiu ao corpo do paciente. “Pode bater”, diz o doutor Edmar Maciel, presidente do Instituto de Apoio ao Queimado, dando pequenos toques na perna de Gabriel com os nós dos dedos. “É um couro duro mesmo, tá vendo?”.
Gabriel teve grande parte do corpo queimado em um acidente envolvendo a explosão de um botijão de gás. Quando chegou ao hospital, recebeu os primeiros cuidados, como a limpeza dos ferimentos e a aplicação de pomada cicatrizante. No dia seguinte, como procedimento padrão, teve de tomar anestesia geral para fazer a troca dos curativos. “A dor é tão grande, que parecia que eu estava sendo queimado de novo”, disse. A equipe do hospital então perguntou se ele aceitaria fazer o tratamento com pele de tilápia. “Eu aceitei, porque disseram que dói menos”, conta Gabriel. "E realmente, a dor melhorou muito". Ao todo, o rapaz recebeu 40 peles deste peixe, que também é conhecido em algumas regiões como Saint Peters. Com o passar dos dias, o material vai se transformando em um couro duro e só é retirado, com a ajuda de vaselina, depois que a pele do paciente começa a cicatrizar. Essa é uma das vantagens do uso da tilápia: como o curativo não precisa ser trocado todos os dias, como no método convencional, o paciente sofre menos.
O tratamento de queimaduras com a pele da tilápia é fruto de uma pesquisa iniciada em 2015 pela Universidade Federal do Ceará (UFC) em parceria com o Instituto Dr. José Frota. Os pesquisadores tiveram a ideia de aplicar o material na medicina depois de descobrirem que 99% da pele deste peixe vai parar no lixo. Pensando nisso, formaram uma equipe para estudar a viabilidade do uso deste material na cicatrização de queimaduras, baseando-se em outras experiências registradas. “Em outros países, são usadas peles de outros animais como porco, rã e cachorro”, explica Edmar Maciel, que também é o coordenador da pesquisa. “Mas descobrimos que a pele da tilápia tem alta concentração de colágeno, é resistente à pressão, tem boa umidade e por isso adere bem na pele humana e evita que o paciente perca líquido, uma das complicações das queimaduras”. Além disso, o material, por enquanto, sai de graça.
O uso da pele ainda está em fase de pesquisa para queimaduras de segundo grau. Por isso, ela não é aplicada em todas as pessoas que chegam ao hospital. Há um critério que envolve idade e estágio da queimadura, além de o paciente precisar aceitar participar da pesquisa. "Já teve gente que não quis participar, por achar que poderia, por exemplo, ficar com cheiro de peixe no corpo", conta Maciel. Mas isso não ocorre. Para ser utilizada, a pele da tilápia passa por um tratamento especial de limpeza e a esterilização, feitos nos laboratórios da UFC. Depois, o material é enviado a São Paulo, onde recebe uma irradiação para matar possíveis vírus. Só então volta para a Universidade, onde pode ficar armazenado sob uma temperatura de 3 a 4 graus por até dois anos. Ao todo, o processo de limpeza dura de sete a dez dias, incluindo o envio para São Paulo. O cheiro é totalmente eliminado. 
O professor Odorico Moraes segura duas embalagens com peles de tilápia prontas para o uso.
Hoje, 1.000 peles de tilápia formam o banco de peles da UFC, de onde são enviadas para o hospital à medida em que há necessidade. Odorico Moraes, diretor do Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento em Medicamentos da UFC, explica que a demanda depende de fatores como a época do ano. "Em junho, época das festas de São João aqui no Nordeste, quando fazem fogueiras e soltam balões, a demanda cresce", explica. Os médicos calculam que 97% dos casos de queimadura envolvem a população de baixa renda. A maioria dos acidentes são provenientes de choques elétricos e água quente, como o caso do garoto Cristiano, de seis anos. "Ele brigou com a irmã e ela atirou água quente nele, queimando parte da perna", explicou a mãe, Rita de Cássia, 31. Ela autorizou o uso da tilápia no garoto, que apresentava acelerada cicatrização, dois dias após dar entrada no hospital.
“Isto aqui é o ovo de Colombo”, diz o professor Odorico Moraes. "A tilápia é uma peste: cresce rápido, ganha peso rápido, come de tudo, é criada no mundo todo e se adapta facilmente a diferentes ambientes", diz. Por isso, seu uso é tão viável, assegura. O professor calcula que cada pele, de cerca de 10 x 20 centímetros, tenha um custo de 8 a 10 reais, mas ainda não é possível afirmar, com certeza, quanto custará no mercado. Neste momento, os pesquisadores estão em fase de seleção do laboratório que fará a produção em larga escala, para então, obter o registro na Anvisa e aí passar a comercializar o produto. Além do tratamento de queimaduras, os pesquisadores já utilizaram o material, também em caráter de pesquisa, para implante dentário,reconstituição óssea e da vagina. "Fizemos a reconstituição da vagina de duas pacientes que nasceram com a Síndrome de Rokitansky, uma síndrome rara em que a pessoa nasce sem a vagina", explicou o doutor Edmar Macedo. "Nos dois casos obtivemos ótimos resultados".

A medida da dor

Além do poder cicatrizante, os médicos pesquisam agora as propriedades analgésicas e anti-inflamatórias da pele da tilápia. "Como os pacientes que usam a tilápia relatam tomar menos remédio para dor do que aqueles tratados com o método convencional, acho que há algo aí que merece ser investigado", explicou Mariana Vale, professora e pesquisadora da UFC. Os pesquisadores ainda não sabem, porém, se a dor melhora porque a pele do peixe isola os ferimentos, ou se, de fato, libera alguma substância analgésica.
Para medir a dor, a pesquisadora utiliza um aparelho chamado analgesímetro, com uma extremidade pontiaguda feita de silicone. A médica espeta a ponta em uma parte do corpo e pede para que o paciente diga quando incomodar. A pressão feita é mensurada no aparelho, na medida de gramas. Depois, ela vai próximo da área queimada, e repete o procedimento. Dali é tirada uma média, que é refeita a cada dia, para observar o quanto a dor diminui. "O que já podemos dizer é que há muita diferença no limiar da dor entre aqueles que usam a tilápia e os que fazem o tratamento convencional", conta a pesquisadora.

Crise da Coréia do Norte: a guerra seria horrível, diz o general dos EUA


O líder norte-coreano Kim Jong-Un inspeciona o Comando da Força Estratégica do Exército do povo coreano

Fonte: bbc news 

Uma resposta militar à Coréia do Norte seria "horrível", mas continua sendo uma opção, diz o principal assessor militar do presidente dos EUA, Donald Trump.
O general Joseph Dunford, presidente do Estado-Maior dos Estados Unidos, fez os comentários enquanto visitava a China.
Ele estava respondendo às observações de um alto funcionário do Trump que exclui a ação militar sobre o programa nuclear da Coréia do Norte.
As tensões aumentaram entre os EUA e a Coréia do Norte depois que Pyongyang fez avanços em seus testes de mísseis.
Trump advertiu o Norte que enfrenta "fogo e fúria", enquanto Pyongyang ameaçou atacar o território americano de Guam.
Mas a retórica acentuada da semana passada desde então foi suavizada, com o líder da Coréia do Norte Kim Jong-un colocar os planos de Guam em espera - um movimento elogiado pelo presidente Trump.
O estrategista chefe da Casa Branca, Steve Bannon, disse na quarta-feira que não poderia haver uma solução militar para o stand-off.
"Até que alguém resolva a parte da equação que me mostra que 10 milhões de pessoas em Seul não morrem nos primeiros 30 minutos de armas convencionais, não sei do que você está falando, não há solução militar aqui, eles Nos trouxe " , disse ele à American Prospect .
Gen Dunford concordou que uma solução militar seria "horrível", mas continuou dizendo que "o que é inimaginável para mim não é uma opção militar".
"O que é inimaginável é permitir que o líder norte-coreano Kim Jong-Un desenvolva mísseis balísticos com uma ogiva nuclear que possa ameaçar os Estados Unidos e continuar a ameaçar a região".
Ele disse que o presidente Trump "nos disse para desenvolver opções militares confiáveis ​​e viáveis, e é exatamente isso que estamos fazendo".
Um alto funcionário militar chinês que se encontrou com o Gen Dunford disse-lhe que a ação militar deveria ser descartada e que o "diálogo" era a única opção, disse o Ministério da Defesa chinês.
A China é o único aliado importante do Norte. Os EUA criticaram a China por não ter feito o suficiente para impedir isso, mas Pequim diz que começou a suspender as importações de ferro, minério e marisco da Coréia do Norte, de acordo com as novas sanções da ONU.
PROPAGANDA É COM DUDÚ DA KOMBI

Paulo Silvino, ator e humorista, morre aos 78 anos no Rio


Paulo Silvino posa com Serginho Groisman, Belo e Suzana Vieira durante gravação do programa Altas Horas em julho de 2014 (Foto: Zé Paulo Cardeal/Globo)

Fonte: G1

Morreu, na manhã desta quinta-feira (17), aos 78 anos, o ator Paulo Silvino, que lutava contra um câncer no estômago. Segundo a Central Globo de Comunicação, o humorista morreu em casa, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, no início da manhã. Em redes sociais, o filho mais novo do ator, João Paulo Silvino, lamentou a morte do pai. "Que Deus te receba de braços abertos meu pai amado".

MINISTÉRIO DE LOUVOR ADORADORES DO REI

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

EUA X VENEZUELA Nicolás Maduro pede uma "abrangente armada exercício de defesa", em resposta às palavras de Donald Trump sobre uma possível "opção militar" na Venezuela


Nicolás Maduro

Fonte: bbc 

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, os EUA querem mostrar a sua capacidade de defesa em caso de uma possível intervenção militar estrangeira.
Maduro anunciou segunda-feira que a 26 e 27 de agosto será realizada em todo o país um "exercício de armada defesa integral" .
É a primeira reação das palavras de Maduro última semana do seu homólogo norte-americano, Donald Trump, que disse que não descarta uma "opção militar" contra o conflito social e político que existe na Venezuela.
Maduro falava no final de uma marcha anti-imperialista organizado em várias partes do país. De Caracas, multitudinária, ele terminou em Miraflores Palace com o discurso do presidente.
"Diante com a ameaça do imperador Trump, aqui está a resposta das pessoas na rua. Yankees, ir para casa. Trump, ir para casa!O povo da Venezuela diz: 'Trump, ir para casa' , "Maduro disse aos seus seguidores.
O presidente condenou as palavras de Trump e considerado uma ameaça para todos da América Latina .
Os participantes da marcha Caracas anti-imperialista
Venezuela passou mais de quatro meses de protestos chamados pela oposição, que acusa de desestabilizar o governo para promover a intervenção estrangeira.
Maduro agradeceu o apoio internacional e criticou a oposição venezuelana justificar uma possível intervenção , assim chamado para a Comissão da Verdade, órgão criado pelo plenipotenciário Assembleia Constituinte para fazer justiça a intervir.
O presidente pediu punição para aqueles que têm apoiado "a intervenção da Venezuela e da ameaça de Donald Trump."
a oposição da Venezuela se reuniram na Unidade Democrática Roundtable (MUD) no domingo rejeitado ameaça militar da Trump ea interferência em Cuba que ele diz que o governo de Maduro permitiu.
Vladimir Padrino
Ao lado da chamada para a paz não resolver as diferenças pela força das armas, Maduro anunciou o exercício militar liderada pelas Forças Armadas Nacionais.
"Devemos nos preparar para que ninguém se atreve a tocar em uma única polegada de terra da Venezuela. A terra da Venezuela é sagrada e não deve ser tocada pela bota Yankee imperialista , " disse Maduro, que mais uma vez ofereceu diálogo Trump, que na semana passada rejeitou uma conversa com o líder venezuelano.
"Você é você enganando, Trump. Estamos lançando uma ravina igual que (Barack) Obama e (George W.) Bush e irá falhar", lançou.
MINISTÉRIO DE LOUVOR ADORADORES DO REI

MPF denuncia Henrique Alves por beneficiar pessoas próximas com passagens pagas pela Câmara



Fonte: época 

Preso atualmente por dois mandados de prisão preventiva, um do Distrito Federal e outro do Rio Grande do Norte, o ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) foi alvo de nova acusação nesta semana. O Ministério Público Federal em Brasília denunciou o ex-deputado por peculato no escândalo conhecido como farra das passagens. O peemedebista foi acusado de ter comprado 306 bilhetes aéreos nacionais e internacionais para terceiros entre 2007 e 2009, um gasto total de R$ 206 mil para os cofres da Câmara.
Segundo a procuradoria, há indícios de que familiares tenham sido beneficiados, entre eles filhos e uma das ex-mulheres de Henrique Alves. Miami e Buenos Aires foram alguns dos destinos. O caso tramitava no Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região, mas foi baixado para a primeira instância. Na segunda-feira (14), a procuradora Sara Moreira de Souza Leite apresentou a denúncia à 12ª Vara Federal do Distrito Federal. Procurada, a defesa de Henrique Alves afirmou que ainda não tomou conhecimento da acusação.
MINISTÉRIO DE LOUVOR ADORADORES DO REI

Jovens fogem em massa do leste da Síria para evitar recrutamento pelo EI


Jovens fogem em massa do leste da Síria para evitar recrutamento pelo EI

Fonte: AFP

“Todos os jovens de 20 a 30 anos devem se alistar para combater em toda a Síria”. Desde que ouviu esta convocação do grupo extremista Estado Islâmico (EI), Mahmud Al Ali fugiu de seu povoado, no leste da Síria, sem olhar para trás.
Encurralada por todas as partes nesse país em guerra, a organização ultrarradical impôs recentemente o recrutamento obrigatório em Deir Ezzor, a última província que controla quase totalmente na Síria, desde 2014.
Assim como Mahmud Al Ali, de 26 anos, os moradores de cidades e aldeias da província saíram correndo para evitar o recrutamento. Muitos se refugiaram em um campo de deslocados da província vizinha de Hassaké, a sete quilômetros da localidade de Aricha.
Em pleno deserto, o campo é um mar de barracas com as siglas do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).
Há mulheres e crianças sentadas, inclusive no chão, sob um sol escaldante, mas o acampamento se diferencia por ser composto em sua maioria por rapazes.
“O EI nos disse que a jihad [guerra santa] agora era o nosso dever”, conta à AFP Mahmud Al Ali, que abandonou junto com a sua família a localidade de Al Echara, a sudeste da cidade de Deir Ezzor, capital da província.
– Bombardeios e prisões –
“Mas a maioria dos jovens se nega e fugimos aos milhares”, acrescenta o rapaz que, como muitos outros, usa uma túnica masculina tradicional e barba longa, o estilo imposto pelo EI.
Tanto os habitantes como o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) informaram nos sermões de sexta-feira, com alto-falantes e panfletos, que os extremistas advertiram que os moradores tinham uma semana para se apresentar aos escritórios de recrutamento.
“A situação se tornou dramática”, comenta outro deslocado, Salah Al Mohammad, de 28 anos.
Os extremistas “realizavam inspeções nas casas para recrutar os jovens à força”, segundo este homem, que fugiu de Mayadin, segunda cidade de Deir Ezzor. Muitos dos que resistem são presos.
Segundo Ahmad Al Abed, também de Mayadin, os recrutados “fazem um treinamento de um mês e depois lutam com o EI por quatro meses”.
“Há pessoas que não podem sair. Nós pagamos [os atravessadores] dois milhões de libras sírias [3.300 euros] por 15 membros de nossa família”, detalha Ahmad Al Abed, de 23 anos.
Diante da fuga em massa dos moradores, o EI reforçou as medidas de controle na província.
A organização extremista perdeu muito terreno na Síria. Após ter sido expulsa da província de Aleppo, está sendo cercada em Raqa, sua “capital” de fato, enquanto o governo a expulsou totalmente da província de Homs.
– “Impossível sair” –
Pressionado, parece que o EI quer se mobilizar para defender Deir Ezzor, próxima batalha do governo sírio e de seu aliado russo. Esta província “marcaria o fim da luta contra o EI”, segundo Moscou.
Os extremistas disseram “aos jovens: ‘queremos que nos apoiem na batalha de Deir Ezzor'”, explica Hazem Al Satem, de 25 anos, também da localidade de Al Echara. “Mas ninguém queria se unir a eles”, continua.
As milhares de pessoas que conseguiram fugir acabaram em campos que faltam alimentos, água e atenção médica.
O campo de Aricha, criado há dois meses e localizado no perímetro de uma refinaria de petróleo, abriga 7.100 pessoas amontoadas em 400 toldos.
O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) indicou na segunda-feira que os deslocados nos 40 campos de Raqa e Hassaké vivem em condições terríveis.
“Essas tendas estão em pleno deserto. As cobras e os escorpiões são uma ameaça diária”, denunciou Ingy Sedky, porta-voz do CICV em Damasco. “As crianças brincam com resíduos tóxicos, bebem e tomam banho em águas contaminadas”.
Apesar desta situação precária, os deslocados estão felizes de conseguir fugir.
“Pudemos nos salvar”, dizia Ibrahim Khaled, de 28 anos. “Para os que ficaram, será impossível sair”.
PROPAGANDA É COM DUDÚ DA KOMBI

Operação da PF prende dois aliados do governador do RN



Fonte: Estadão conteúdo 

A Operação Anteros, da Polícia Federal, prendeu nesta terça-feira, 15, dois aliados próximos do governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD). Adelson Freitas dos Reis e Magali Cristina da Silva, funcionários da Assembleia Legislativa do Estado, foram presos em regime temporário por suspeita de envolvimento no esquema de inclusão de servidores fantasmas nos quadros da Casa.
A Operação Anteros foi deflagrada por ordem do ministro Raul Araújo Filho, da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça. O governador foi alvo de buscas. A PF vasculhou dois endereços de Robinson. Também recolheu documentos em batida na sede do Governo do Rio Grande do Norte e na Assembleia Legislativa.
A suspeita da PF é que o governador teria tentado comprar o silêncio de um delator da Operação Dama de Espadas, investigação sobre esquema de funcionários fantasmas que predominou no Legislativo estadual entre 2006 e 2015, período em que os desvios teriam alcançado cerca de R$ 5 milhões.
A PF poderá pedir ampliação do prazo de prisão temporária imposto aos antigos assessores de confiança de Robinson. Adelson e Magali serão interrogados.
Robinson Faria foi deputado estadual por seis mandatos. Ele presidiu a Assembleia do Rio Grande do Norte entre 2003 e 2010. Como governador, ele desfruta de foro privilegiado no Superior Tribunal de Justiça.
Na época da Dama de Espadas, foi presa a procuradora da Assembleia, Rita das Mercês, apontada como “organizadora” do esquema na Casa. Ela ficou presa por alguns dias e acabou solta por força de habeas corpus. Rita e mais 23 investigados são réus em ação criminal na Justiça de Natal.
Defesa
Em nota, o advogado criminalista José Luís Oliveira Lima, defensor do governador do Rio Grande do Norte, negou enfaticamente envolvimento de Robinson Faria em “qualquer irregularidade”.
De acordo com Lima, “o governador Robinson Faria nega veementemente a prática de qualquer irregularidade durante seu mandato de deputado estadual, encerrado em 2010 e reforça que sempre esteve à disposição para prestar qualquer esclarecimento.”
“Apesar de não concordar com a diligência realizada nesta data, tem profundo respeito pela Justiça e confia no rápido restabelecimento da verdade.”
O advogado afirmou ainda que “até o momento a defesa não teve acesso aos autos.”

Governo eleva metas de déficit primário mas depende de Congresso para evitar rombo ainda maior



Fonte: reuters

BRASÍLIA (Reuters) - O governo anunciou nesta terça-feira novas e maiores metas de déficit primário, que subirão a 159 bilhões de reais neste e no próximo ano, confirmando a tendência de deterioração das contas públicas, que pode ser ainda pior caso o Congresso Nacional não aprove medidas impopulares que foram apresentadas para limitar o rombo ao montante estipulado.
Ao fazer o anúncio, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, justificou as mudanças fundamentalmente pela queda "substancial" na arrecadação, afetada por projeções mais baixas para a inflação.
As metas anteriores para o déficit primário do governo central (Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência) eram de 139 bilhões de reais em 2017 e de 129 bilhões de reais para o próximo ano. Os novos valores precisam ser aprovados pelo Congresso.
Segundo o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, o aumento de 20 bilhões no rombo de 2017 se deve a uma reserva para fazer frente à eventual nova frustração de receitas e à perspectiva de destinar de 8 bilhões a 10 bilhões de reais para o descontingenciamento de gastos públicos --atualmente na casa de 45 bilhões de reais.
"Temos vários órgãos que estão operando no limite e necessitam de complementação", afirmou.
Para 2018, os ministros indicaram que o aumento do rombo poderia, na realidade, ser ainda maior, chegando a 44,5 bilhões de reais. Para limitá-lo aos 30 bilhões de reais agora fixados, o governo lançará mão de uma série de projetos que precisam passar pelo crivo do Congresso Nacional, num momento em que os parlamentares têm mostrado resistência crescente para aprovação de medidas impopulares conforme as eleições de 2018 se aproximam.
Nesse sentido, o governo indicou a expectativa de uma receita de 6 bilhões de reais com a equiparação do modelo de tributação dos chamados fundos fechados de investimentos com os fundos abertos.
Outros 4 bilhões de reais deverão vir com a reoneração da folha de pagamento das empresas, mais 2,6 bilhões de reais com a manutenção em 2 por cento da alíquota do programa de incentivo às exportações Reintegra e, finalmente, mais 1,9 bilhão de reais com elevação na contribuição previdenciária por funcionários públicos.
De todas estas medidas, apenas a mudança referente ao Reintegra poderá ser feita via decreto presidencial. Todas as demais necessitam de aval dos parlamentares.
"As dificuldades e debates com parlamentares são absolutamente normais e isso é parte da democracia", disse Meirelles.
"Não há duvida de que nós contamos com aprovação no Congresso e o que podemos fazer é mostrar necessidade disso exatamente para manter revisão da meta a menor possível", acrescentou o ministro, reconhecendo que poderá haver aumento dos déficits caso o Legislativo decida não apoiar as medidas.
O governo também anunciou uma série de medidas em relação ao funcionalismo público, incluindo a extinção de 60 mil cargos hoje vagos, além da reestruturação salarial e de carreira. Nesse pacote confirmou que ira postergar em um ano os reajustes concedidos aos servidores, poupando 5,1 bilhões de reais em 2018.

CONCESSÕES

Sobre concessões, Oliveira disse que o governo contabilizou cerca de 6,5 bilhões de reais com concessões já regulares em 2018, além de 7,5 bilhões de reais adicionais no setor de energia e aproximadamente 6 bilhões de reais no setor de aeroportos. Meirelles ressalvou que a definição de quais aeroportos serão licitados caberá Programa de Parceria de Investimentos (PPI).
Em relação às incertezas que rondam a realização de leilão para concessão de usinas hidrelétricas outrora detidas pela Cemig, o ministro pontuou que o leilão está mantido, embora o governo esteja ouvindo "os interesses de Minas Gerais". A expectativa de receita com a investida segue de pé para o cumprimento da meta fiscal deste ano.
Com a revisão da meta, a equipe econômica também retirou de seu horizonte a previsão de um superávit primário para o setor público consolidado. Antes do anúncio desta terça-feira, a expectativa era que o Brasil teria um superávit de 23,2 bilhões de reais em 2020. Agora, a estimativa passou para um rombo de 51,8 bilhões de reais nas contas públicas. Segundo Oliveira, o superávit primário volta apenas em 2021.
Com isso, serão sete anos consecutivos de dados negativos -- o Brasil acumula déficits primários desde 2014.
Para 2019, a perspectiva de déficit foi substancialmente piorada a 137,8 bilhões de reais, contra 63,8 bilhões de reais antes.
Já para este ano e o próximo, as metas de déficit para o setor público consolidado foram revisadas a 163,1 bilhões de reais e 161,3 bilhões de reais, respectivamente, contra 143,1 bilhões de reais e 131,3 bilhões de reais antes.
O mercado já vinha precificando há tempos rombos fiscais superiores às metas. As novas cifras, anunciadas nesta terça, são piores do que as últimas estimativas dos analistas, de déficit primário de 154,8 bilhões de reais para 2017 e de 130,5 bilhões de reais para 2018, conforme relatório Prisma Fiscal divulgado na quinta-feira.
Os ministros afirmaram que o governo deverá enviar projeto de lei já na quarta-feira para revisão da meta que consta da LDO do próximo ano. Somente com a aprovação do texto, os técnicos poderão enviar um projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2018 que já contemple a meta mais afrouxada. O envio da LOA deverá, por lei, ser feito até o dia 31 de agosto.
O ambiente para essa tramitação, contudo, não deverá ser tranquilo. A Comissão de Assuntos Econômicos (CMO), que terá a responsabilidade de analisar a proposta de alteração, decidiu nesta terça-feira cobrar explicações da equipe econômica sobre os vetos do Executivo à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2018, que enxergou como uma atitude unilateral e arrogante.
A imagem pode conter: texto