sábado, 11 de novembro de 2017

Operação da PF no Galeão combate entrada irregular de mercadorias




Fonte: Jornal do Brasil 

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (7) a Operação Canal Fechado com o objetivo de desarticular uma organização criminosa que atuava no aeroporto do Galeão há mais de dois anos, e contava com a participação de um analista tributário da Receita Federal e de três funcionários da empresa que presta serviços terceirizados no aeroporto. O fiscal e os funcionários tinham como função viabilizar o desembarque de pessoas previamente determinadas sem que fossem regularmente fiscalizadas. O servidor público foi afastado de suas atividades por determinação judicial.
Além do afastamento, foram cumpridos também dois mandados de prisão preventiva e três mandados de busca e apreensão. As investigações da PF apontam que os dois homens presos atuavam na cooptação de pessoas para trazer mercadorias do exterior, além de organizar a facilitação da chegada dos cooptados no Galeão, recebendo e revendendo os bens importados no mercado. Vários tipos de produtos eram trazidos irregularmente pela organização criminosa, como telefones celulares, relógios, perfumes e videogames. Dentre as pessoas que trouxeram mercadorias encontra-se um militar do Exército que atuou nas tropas brasileiras que serviram no Haiti.
As investigações tiveram início em janeiro deste ano com a prisão de um funcionário da empresa prestadora de serviços no aeroporto. Outro funcionário da mesma empresa também foi preso pela PF no mês de abril.
O analista tributário investigado foi indiciado pelo crime de pertencimento à organização criminosa e facilitação de contrabando ou descaminho e os dois homens presos por contrabando, descaminho e também por pertencimento à organização criminosa.