quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

MPRN promove cerimônia de entrega do V Prêmio de Jornalismo



Fonte: blogdaniloevaristo

Dezessete matérias e fotos foram as vencedoras do V Prêmio de Jornalismo do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN). A solenidade de premiação ocorreu na manhã desta segunda-feira (11), na sede da Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ), em Natal. Os jornalistas e estudantes de Jornalismo foram recebidos com um café da manhã.
A quinta edição do Prêmio teve como tema “MPRN 125 anos: na defesa dos direitos da sociedade potiguar”, tendo cinco categorias profissionais: Jornalismo Impresso, Webjornalismo, Radiojornalismo, Telejornalismo e Fotojornalismo. Houve ainda premiação na categoria Destaque Acadêmico, dedicada aos estudantes de Comunicação, sem premiação em dinheiro mas com o reconhecimento dado pelos destaques entre os trabalhos inscritos. As matérias que concorreram foram veiculadas entre novembro de 2016 e novembro de 2017.
O procurador-geral de Justiça do Rio Grande do Norte, Eudo Rodrigues Leite, deu as boas-vindas e na saudação lembrou que a imprensa possui características semelhantes às do próprio Ministério Público, como ter uma atuação livre e apresentar um trabalho transparente. “O Prêmio de Jornalismo tem como um dos seus principais objetivos divulgar a atuação da instituição, mas o meu entusiasmo com esse prêmio é que ele fomenta uma imprensa investigativa, que vai apurar os fatos e servir à sociedade”, disse, agradecendo a presença de todos.
“Quando a imprensa faz bem o seu papel, ela incomoda. A sua função é fazer isso até para apontar coisas que precisam ser corrigidas. Esse prêmio é para reconhecer a importância do trabalho feito pela categoria de jornalistas”, observou o vice-presidente da Associação do Ministério Público do RN (Ampern), Cláudio Alexandre de Melo Onofre.
A comissão julgadora dos trabalhos inscritos foi formada pelo presidente do Sindicato dos Jornalistas do Rio Grande do Norte (Sindjorn), Breno Perruci; pela coordenadora de Comunicação da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (ALRN), Marília Rocha; pela assessora de Comunicação da Ampern, Zenaide Castro; pela chefe do Setor de Imprensa do MPRN, Marina Lino; e pela analista de Comunicação do MPRN, Giselle Ponciano.
O presidente do Sindjorn, Breno Perruci, destacou que o Prêmio já está consolidado entre a categoria e falou sobre o processo de seleção dos vencedores. “Um cuidado que a comissão julgadora teve foi atender o critério da qualidade, escolhendo as matérias mais bem apuradas e bem trabalhadas e não aquelas que bajulassem o Ministério Público”. Ainda em sua fala, o representante da categoria dos jornalistas agradeceu ao MPRN a manutenção e cuidado que tem com a realização da premiação.
Premiados
O MPRN, graças a uma parceria com a Ampern, premiou o primeiro lugar de cada categoria com a quantida de R$ 3.500; para o segundo lugar de cada categoria, R$ 2.500 e para o terceiro lugar, o valor de R$ 1.500 em cada categoria.
DESTAQUE ACADÊMICO
1º lugar – “MP trabalha para garantir sobrenome de pais a crianças”, de Tânia de Maria Thiago Diniz Ribeiro e coatoria de Maria do Perpétuo Socorro Souza de Lima Aragão, Thalles Souza Florêncio, José Carlos Borges Neto e Lucas Trindade Santiago Chaves (Novo Jornal);
2º lugar – “Violência que marca: tatuadas pela resiliência”, de Josieverton Bruno Vital de Melo e coautoria de  Ícaro Cesar Carvalho Batista de Medeiros (FM Universitária);
3º lugar – “Cercados pela omissão”, de Ícaro Cesar Carvalho Batista de Medeiros e coautoria de Josieverton Bruno Vital de Melo e Gabriel Leme Penteado (FM Universitária);
FOTOJORNALISMO
1º lugar – “Combate à corrupção e defesa do patrimônio público”, de Adriano Abreu dos Santos (Tribuna do Norte);
2º lugar – “Incêndio devasta o leningrado”, de Magnus Teixeira do Nascimento (Tribuna do Norte);
RADIOJORNALISMO
1º lugar –  “A lei na melhor idade”, de Francisco Tárcio Araújo Pereira e coautoria de Elizângela Moura, Fabiano Júnior e Moisés Albuquerque (Rádio TCM);
2º lugar – “Violência contra a mulher e as mudanças na lei Maria da Penha”, Malik Nagib Gonçalves de Souza (CBN);
3º lugar – “Justiça restaurativa para evitar escalada de violências de jovens do Rio Grande do Norte”, de Sérgio Luiz da Costa, com coautoria de Ciro Pereira Revoredo Marques (96FM);
WEBJORNALISMO
1º lugar – “RN atinge marca histórica de 2 mil asassinados em menos de um ano”, Anderson Simões Barbosa (G1RN);
2º lugar – “Esquema da Semsur se replica em outras prefeituras do RN”, de Dinarte Pereira Assunção (Portal Noar);
3º lugar – “Mudança polêmica na Maria da Penha divide opiniões entre ‘Guardiões da lei’ no RN”, de Júlio César Lima do Rocha (Portal Noar);
JORNALISMO IMPRESSO
1º lugar – “Projeto pode modificar Lei Maria da Penha após 11 anos”, de Felipe Galdino da Costa (Novo Jornal);
2º lugar – “Desembargador afasta o deputado Ricardo Motta”, de Francisco Ricardo Silva de Araújo (Tribuna do Norte);
3º lugar – “Ex-procuradora da Assembleia delatou o governador”, de Mariana Ceci de França e Silva e coatoria de Francisco Ricardo Silva de Araújo (Tribuna do Norte);
TELEJORNALISMO
1º lugar – “Justiça restaurativa: diálogo como solução de conflitos”, de Victor Ferreira da Lima (TV Ponta Negra);
2º lugar – “Crescimento da violência em Ceará-Mirim”, de Marksuel de Oliveira Figueredo (InterTV Cabugi);
3º lugar – “APAC: uma alternativa para a crise do sistema prisional potiguar?”, de Ítalo Roberto Amorim Souto (TV Assembleia).