domingo, 15 de setembro de 2019

Após três dias preso, filho do ex-ministro Edison Lobão é solto



Fonte: IG

Uma decisão do desembargador João Pedro Gebran Neto, do Tribunal Federal Regional da 4ª Região, determinou a soltura de Márcio Lobão, filho do ex-ministro Edison Lobão, preso há quatro dias, na manhã deste sábado (14).
Márcio Lobão foi preso pela Polícia Federal após a 65ª fase da Lava Jato, que envolvia esquemas de corrupção envolvendo a construção da Hidrelétrica de Belo Monte. Ele é suspeito de receber propina por meio de um escritório de advocacia em nome da família no Rio de Janeiro.
A prisão foi substituída por medidas cautelares e pelo pagamento de fiança no valor de R$ 5 milhões. Agora, o filho do ex-ministro não poderá deixar o país ou manter nenhuma espécie de contato com os investigados da Lava Jato.


Mossoró sediará congresso sobre licitações


Fonte: Blog Do Barreto 

Entre os dias 6 e 8 de novembro Mossoró será sede do I Congresso Interestadual para Gestores, Empresários e Profissionais em Licitação e Contratos (LICITAR) que ocorrerá no Hotel Villa Oeste.
O LICITAR 2019 tem como principal objetivo a proteção da categoria, promover a profissionalização, a categorização, o reconhecimento das atividades, a melhoria das condições de trabalho e a especialização de seus associados, através de apoio e orientação aos profissionais.
Serão reunidos grandes especialistas debatendo e apresentando o que há de mais moderno no ramo das licitações públicas.
O evento é organizado pelo Centro Especializado em Planejamento e Administração Municipal e Empresarial (CEPLAME) com apoio da Associação dos Profissionais em Licitações e Contratos do Estado do Rio Grande do Norte (ALICITA/RN) e Organização dos Pregoeiros da Paraíba.
Todas as informações sobre o LICITAR 2019 estão disponíveis no site www.licitar2019.com.br, através do E-mail: licitar2019.rn@gmail.com


LÉO PINHEIRO, EX-PRESIDENTE DA OAS VAI 'DELATAR'



Fonte: veja

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), homologou a delação do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro. O empreiteiro pediu ao juiz Danilo Pereira Júnior, da 12ª Vara Federal de Execuções Penais de Curitiba, para migrar da prisão em regime fechado para domiciliar. Segundo seus advogados, nesta quarta-feira, 11, foram juntados aos autos a decisão de Fachin que endossou seu acordo junto à Procuradoria-Geral da República (PGR).

O executivo foi preso pela primeira vez na Operação Juízo Final, a 7ª fase da Lava Jato, deflagrada em novembro de 2014. Ganhou prisão domiciliar, por ordem do STF, e voltou para o regime fechado em 5 de setembro de 2016.

Mesmo antes de firmar a delação, Léo Pinheiro já confessava crimes em ações penais da Lava Jato. Ele também teve peso decisivo nos processos em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado. Ele atribuiu supostas propinas ao petista no caso do triplex do Guarujá, pelo qual o ex-presidente foi condenado e cumpre 8 anos e 10 meses de pena, e no do sítio de Atibaia, que está próximo de ser julgado em segunda instância – nesse caso, a juíza Gabriela Hardt, que substituiu Sergio Moro após ele ir para o governo Jair Bolsonaro, impôs pena de 12 anos e 11 meses de prisão ao ex-presidente.

O acordo de delação do ex-mandatário da OAS também detonou uma crise no fim do mandato da procuradora-geral, Raquel Dodge. Membros do grupo da Lava Jato na PGR renunciaram após a chefe do Ministério Público Federal opinar ao Supremo pelo arquivamento dos anexos da delação de Léo Pìnheiro, em que ele cita o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e um dos irmãos do presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli.

Os advogados de Pinheiro, Maria Francisca Accioly e Daniel Laufer, observaram ao magistrado de execuções penais de Curitiba que “já no dia 7 de abril de 2019 (Léo Pinheiro já havia cumprido) o total de 3 anos e 4 meses de pena em regime prisional fechado, não existindo nenhum óbice para que se determine a remoção do requerente da Superintendência de Polícia Federal e que a consequente continuidade da pena agora se dê em regime domiciliar”.

Eles indicam como endereço a casa do empreiteiro, no bairro de Alto de Pinheiros, zona oeste de São Paulo.


domingo, 25 de agosto de 2019

Reinauguração da Casa Pastoral da IEADERN em Santana do Matos e Reunião de Obreiros




Imagens e texto 

Luciano Costa

Reinauguração da Casa Pastoral da IEADERN em Santana do Matos -RN.Minha gratidão a Deus e a minha família, a toda a AD em Santana do Matos-RN, que prontamente se empenhou na execução dessa obra, que Deus continue abençoando cada um de vocês!

























'Exército está pronto para reagir a qualquer ameaça' à Amazônia


General do Exército reagiu ao que chama de 'ameaça' à região.Marcelo Camargo/Agência Brasil (Crédito: )

Fonte: Cbn

Ao lado do presidente da República, comandante do exército general Edson Leal disse que 'os incautos não devem se enganar pois os soldados de Caxias estão prontos para repelir qualquer tipo de ameaça'. Declaração vem depois de Bolsonaro cogitar envio do Exército para controlar incêndios na Amazônia. No evento, presidente fez uma citação bíblica: 'reconheceis a verdade e a verdade vos libertará'.



Uber começa a vender passagens de trens e ônibus



Fonte: Eaxame

Quando Julia Ellis chega a uma estação de trem em um subúrbio de Denver para ir para o trabalho, ela abre seu aplicativo Uber. Ao lado das opções para pedir um carro, ela toca um ícone de um trem que diz “Trânsito”.
O clique realiza a compra de uma passagem do sistema de transporte público de Denver, o Regional Transportation District. Ellis disse que usa o Uber para obter suas passagens de trem desde que a empresa lançou o recurso recentemente. Ela também muitas vezes pega um Uber até a estação, porque uma condição médica limita sua capacidade de dirigir.
“Você clica duas vezes e está lá”, disse Ellis, de 54 anos, sobre como o Uber e o sistema de trens de Denver haviam mudado seu trajeto para o trabalho.
Ellis faz parte de uma experiência do Uber. Agora que a empresa procura um novo crescimento, ela se uniu a agências urbanas e de trânsito nos Estados Unidos, Canadá, Grã-Bretanha e Austrália para fornecer passagens, para transportar pessoas com deficiências ou, por vezes, para substituir inteiramente o sistema de transporte público de uma cidade.
Desde 2015, o Uber já fechou mais de vinte contratos de trânsito. A medida agora está sendo defendida por Dara Khosrowshahi, o executivo-chefe, para transformar a empresa na “Amazon do transporte”. Nesta visão, o Uber se tornaria uma única loja oferecendo transporte por carro, bicicleta, scooter, ônibus e trem.
Isso ajudaria a atrair mais motoristas, especialmente porque a empresa enfrenta questionamentos de Wall Street sobre se pode ganhar dinheiro e retomar a excepcional taxa de crescimento que já teve.

25 de agosto, Dia do Soldado



Fonte: Defesa Net

No dia 25 de agosto, comemora-se o Dia do Soldado nas Organizações Militares do Exército Brasileiro, em todo território nacional. A data homenageia o nascimento do “Duque de Caxias” – soldado símbolo da Pátria – em 1803. Em Brasília (DF), a celebração ocorre no dia 23 de agosto (sexta-feira), com uma cerimônia cívico-militar, aberta ao público, às 10 horas, na Concha Acústica do Quartel-General do Exército (QGEx), no Setor Militar Urbano (SMU).

O evento terá participação de autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Na oportunidade, personalidades e autoridades civis (nacionais e estrangeiras), militares que prestaram relevantes serviços ao Exército e organizações militares que se tornaram credoras de homenagem especial do Exército Brasileiro serão condecorados com a Medalha Exército Brasileiro e a Medalha do Pacificador.

A cerimônia encerra-se com o desfile militar de tropas do Comando Militar do Planalto, da 11ª Região Militar e da 3ª Brigada de Infantaria Motorizada: Comando de Operações Especiais, Batalhão da Guarda Presidencial, Batalhão de Polícia do Exército, 1º Regimento de Cavalaria de Guarda, 6º Grupo de Mísseis e Foguetes, 11º Grupo de Artilharia Antiaérea, 36º Batalhão de Infantaria Mecanizado, 41º Batalhão de Infantaria Motorizado, 32º Grupo de Artilharia de Campanha, 16º Batalhão Logístico, 3º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado e 23ª Companhia de Engenharia de Combate.

Duque de Caxias

O Marechal Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caixas, Patrono do Exército, simboliza o ideal do perfil dos militares do Exército Brasileiro e da carreira, caracterizada pelas seguintes peculiaridades: hierarquia e disciplina; dedicação exclusiva ao trabalho; riscos inerentes à profissão; disposição permanente; mobilidade nacional e internacional; exigências físicas, mentais e psicológicas; formação específica; aperfeiçoamento e treinamento constantes.

Serviço: 

Evento: Cerimônia do Dia do Soldado. Data: 23 de agosto de 2019 (sexta-feira).
Horários: - Dispositivo pronto para cerimônia: 9h. - Início da cerimônia: 10 h.
Local: Concha Acústica do Quartel-General do Exército (QGEx) - Setor Militar Urbano (SMU).

Sequência da Cerimônia: recepção da mais alta autoridade e honras militares; apresentação da tropa; canto da Canção do Exército; leitura da Ordem do Dia do Comandante do Exército; Mensagem Presidencial; solenidade de imposição da Medalha Exército Brasileiro e da Medalha do Pacificador; desfile da tropa; saída da mais alta autoridade e honras militares; encerramento.


sexta-feira, 9 de agosto de 2019

AD LAJES REALIZA CULTO EM AÇÃO DE GRAÇAS POR MAIS UM ANO DO MINISTÉRIO DE LOUVOR ADORADORES DO REI


A imagem pode conter: 6 pessoas, incluindo Regina Monique Tavares, Paulo Ricardo Tavares e Fábio Andreza Cristiano, pessoas a sorrir, texto

Sérgio Chapelin se despede da Rede Globo após quase 50 anos



Fonte: Pleno news

Um dos grandes nomes do jornalismo da Rede Globo, ao lado de Cid Moreira, o apresentador do Globo Repórter, Sérgio Chapelin, deixou a emissora. A informação foi divulgada pelo diretor de jornalismo, Ali Kamel, que expressou o desejo do jornalista em passar mais tempo com a família.
– Olhando para tudo o que Sérgio fez, para o seu pioneirismo (quem mais pode dizer que estava na estreia de dois fenômenos como o Fantástico e Globo Repórter?), para a sua imensa contribuição ao nosso jornalismo, foi impossível não me render aos argumentos dele. Como dizer não ao desejo de se dedicar mais à família e à vida, tendo ele sido esse gigante para a Globo? Confesso que fiquei emocionado, na terça (6), durante a nossa conversa de arremate. Mas disse a ele que sim.
Com a saída de Chapelin, caberá a Sandra Annenberg assumir o comando do Globo Repórter, nas noites de sexta-feira, ao lado de Glória Maria. Em seu lugar, Maju Coutinho comandará a bancada do Jornal Hoje.
– Sérgio deixará o Globo Repórter no fim de setembro. Mas não deixará a Globo. Como Cid Moreira, continuará ligado à emissora que a ele é tão grata. Tenho certeza de que falo por todos nós, seus colegas, quando, em nome da TV Globo, agradeço seu trabalho magistral. Sérgio, muito, muito obrigado. Sua contribuição ao nosso jornalismo é imensurável – escreveu Kamel.

terça-feira, 6 de agosto de 2019

Governo pretende mudar regras de TV a cabo



Fonte: Jornal Estado de São Paulo 

A equipe econômica quer alterar a lei do cabo no Brasil para liberar a verticalização do setor. A ideia é voltar a permitir que operadoras de TV por assinatura tenham o controle de canais e de empresas que produzem conteúdo, e vice-versa, como ocorria até 2011. A área técnica do Ministério da Economia já formulou a minuta de uma Medida Provisória sobre o tema. O documento foi obtido pelo Estadão/Broadcast.
A chamada Lei de Serviço de Acesso Condicionado (SeAC), ou “Nova Lei da TV por Assinatura”, foi aprovada em 2011 após cinco anos de debates no Congresso. A legislação unificou a regulação dos modelos de TV paga, abriu o setor para o capital estrangeiro, criou cotas de programação nacional na grade fechada, e proibiu o controle por um mesmo grupo de operadoras e canais – limitando a participação cruzada a 30%.
O primeiro efeito da nova lei foi forçar a saída do Grupo Globo do controle da Net, em 2012. A proibição à verticalização no setor foi adotada para evitar que uma operadora de TV por assinatura prejudicasse canais concorrentes para beneficiar suas próprias produções na grade de programação.
Agora, técnicos do Ministério da Economia questionam a efetividade dessa medida. Com a consolidação do mercado audiovisual nos Estados Unidos, a trava à verticalização pode levar ao fechamento de mais canais no Brasil, argumentam.
“Não há clareza sobre eventuais benefícios ao consumidor associados às barreiras à verticalização. A imposição de restrições à atuação dos agentes requer comprovação de que os benefícios superam os custos de tais restrições”, afirma o Ministério da Economia na minuta da MP – que propõe a extinção d os artigos 5º e 6º da lei do Seac.
Para a equipe econômica, a trava imposta pela lei não traz melhores resultados do que traria o aumento do número de concorrentes no setor se ela não existisse. “Não se identifica o benefício ao consumidor de se vedar que tanto as empresas de telecomunicações quanto as de radiodifusão aumentem sua participação na cadeia produtiva da comunicação audiovisual de acesso condicionado”, diz a minuta.
A pasta ainda argumenta que a lei atual – apesar de ter menos de dez anos – pode prejudicar o crescimento de “novos de negócios que vêm se desenvolvendo na internet, com impactos na satisfação do consumidor e em novos investimentos”.
A mudança na legislação tem respaldo da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A cúpula do órgão que regula o setor já havia manifestado a parlamentares a necessidade de revogar restrições ao controle da distribuição e produção de conteúdo pelo mesmo grupo. A agência analisa ao menos dois casos ligados à mudança na lei promovida em 2011.
Entre eles, está iniciativa da Fox de vender acesso ao vivo, por meio de um aplicativo, a programação de seus canais que atualmente estão distribuídos na TV paga. A agência entendeu que a Fox, que produz conteúdo, estaria atuando como uma operadora, distribuindo acesso aos canais de forma linear.
O conselho do órgão também avalia a fusão entre a AT&T e a Warner Media, aprovado nos Estados Unidos, e sugeriu mudanças na presença do grupo no Brasil. A empresa de telecomunicações é a controladora da operadora Sky no País e a Warner Media produz conteúdo de canais como HBO, TNT, Cartoon Network e CNN, entre outros. A Anatel deu 18 meses de prazo para uma solução societária – a saída da Sky ou venda da Warner Media no Brasil.
A reportagem tentou contato no sábado e no domingo com autoridades e a assessoria do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações para entender a posição do órgão , mas não obteve retorno. A pasta é responsável pela política nacional de telecomunicações e possui uma secretaria específica para tratar do setor.

MP Eleitoral pede cassação de 19 deputados do RN


 

Fonte: Agora RN 

O Ministério Público Eleitoral ingressou com recursos especiais, junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nas representações contra 19 deputados e ex-deputados estaduais do Rio Grande do Norte por prática de conduta vedada. Eles são acusados de fazer uso eleitoral, indevidamente, da doação de 50 viaturas policiais compradas com dinheiro da Assembleia Legislativa, em 2018.
Os recursos especiais, de autoria do procurador Eleitoral auxiliar Fernando Rocha, reforçam que os representados devem ser condenados à cassação de seus mandatos e ao pagamento de multa pela prática prevista no artigo 73, inciso IV, da Lei 9.504/1997 (a Lei das Eleições): “fazer ou permitir uso promocional em favor de candidato, partido político ou coligação, de distribuição gratuita de bens e serviços de caráter social custeados ou subvencionados pelo Poder Público”.
A lista de representados inclui os deputados estaduais Ezequiel Ferreira de Souza (presidente da Assembleia), Albert Dickson, Cristiane Dantas, Galeno Torquato, George Soares, Getúlio Rêgo, Gustavo Carvalho, Hermano Morais, José Dias, Nelter Queiroz, Souza Neto, Tomba Farias e Vivaldo Costa, além dos agora ex-deputados Carlos Augusto, Dison Lisboa, Gustavo Fernandes, Jacó Jácome, Larissa Rosado e Márcia Maia.
 As representações foram julgadas improcedentes em primeira instância com base no argumento de que a ilegalidade só se caracterizaria se os bens fossem entregues diretamente a eleitores, “pessoas determinadas”; e não de um poder, o Legislativo, a outro, o Executivo Estadual.
Nos recursos, o MP Eleitoral aponta o risco desse entendimento prosperar, o que poderia “abrir a porta” para ações semelhantes nas proximidades das eleições, “que nitidamente têm finalidade eleitoreira e que, inquestionavelmente, desequilibram o pleito em favor daqueles que estão no exercício de um mandato”.
O procurador reforça que a legislação não faz “qualquer alusão a eventuais destinatários desse uso indevido” e cita como precedente o fato de o TSE já ter enquadrado como conduta vedada – pelo mesmo artigo da Lei das Eleições – o simples ato de divulgação, por candidato, durante um comício, de obra pública de asfaltamento de vias.
“Isso porque, ao fim e ao cabo, o uso promocional de algo que deveria ser rotina (aquisição de veículos ou o que mais for) importa na desigualação entre detentores de mandatos potencial ou efetivamente candidatos”, observa Fernando Rocha.
De acordo com o MP Eleitoral, ao definir a destinação das viaturas para seus redutos (duas para cada um), os deputados – além de fazerem uso promocional da doação – impediram que as autoridades de segurança pudessem utilizá-las conforme a necessidade, levando em conta argumentos técnicos e não políticos.
“O modo como foram entregues as viaturas – com ‘reserva de cota’ para indicação por cada deputado estadual, com ampla divulgação pelos mesmos em suas redes sociais e posterior exploração do fato como se fosse um gesto altruístico de cada deputado – torna inequívoco o uso promocional/eleitoral da doação da viatura”, indica.
Outro ponto que chama a atenção é que, conforme observado até pelo juiz de primeira instância, o recurso utilizado na compra das viaturas originou-se da sobra do orçamento da Assembleia do final de 2016, mas a doação somente veio ocorrer em 2018, não por coincidência ano das eleições.
“Inevitavelmente essa entrega de viaturas, na forma como se deu, acabou por ocasionar fator de desigualdade entre os candidatos que não dispunham de tais recursos”, resume o MP, destacando que o valor dos veículos entregues representaram R$ 102 mil para cada deputado, enquanto a média de gastos totais dos candidatos à assembleia potiguar em 2018 não passou de R$ 56 mil.


Justiça da Suíça bloqueia R$ 43,2 milhões movimentados pelo PSDB



Fonte: República de Curitiba via ESTADÃO  

A Justiça Suíça citou em um documento oficial suspeitas envolvendo uma movimentação financeira de R$ 43,2 milhões e uma campanha presidencial do PSDB. Juntamente com o documento segue um pedido de cooperação judicial entre Brasil e Suíça. Os R$ 43,2 milhões estão bloqueados no momento, porém os envolvidos ainda não foram revelados.
Outra informação importante, contida no documento e datada de  26 de setembro deste ano, é que na data foram rejeitados dois recursos apresentados pelos suspeitos para impedir que o processo de cooperação fosse continuado. Muito embora os nomes tenham sido mantidos em sigilo, sabe-se que existe uma joint venture brasileira que atua no ramo de desenvolvimento do serviço rodoviário controlada pelo Governo do Estado de São Paulo, empresários e políticos, e teria como objetivo financiar uma campanha presidencial do PSDB. 


Canetada de Bolsonaro em MASSA NA MÍDIA ESQUERDOPATA!



Fonte: Gazeta Do Povo 


"Medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e publicada nesta terça-feira (6) desobriga empresas de capital aberto a publicarem seus balanços financeiros em jornais impressos. Com a MP 892/19, a publicação dos balanços pode ser feita a partir de agora nos sites da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ou do Diário Oficial (DO) a “custo zero”, conforme informou o próprio Bolsonaro em discurso no congresso da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

“As grandes empresas gastavam com jornais em média R$ 900 mil por ano. Vão deixar de gastar isso aí”, disse o presidente. Apesar da economia gerada aos empresários, Bolsonaro deu a entender que a medida é uma represália aos jornais ao citar o Valor Econômico como um veículo que será atingido pela mudança. A publicação de balanços é uma das principais fontes de receita dos jornais brasileiros.

"O que eu quero, o que eu preciso da imprensa, é a verdade. Quero que a imprensa venda a verdade para o povo brasileiro e não faça política partidária como vem fazendo alguns órgãos de imprensa", disse, antes de ironizar: "espero que o Valor Econômico sobreviva à Medida Provisória."

"Antes, a legislação determinava que esses documentos fossem divulgados no órgão oficial da União, Estado ou Distrito Federal como diários oficiais, conforme o lugar em que a companhia estivesse situada, e em outro jornal de grande circulação editado na localidade da sede da empresa. A MP determina ainda que as publicações contarão com a certificação digital de autoridade credenciada pela Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil).

A medida estabelece que a CVM regulamentará a aplicação das novas regras, podendo, por exemplo, disciplinar quais atos e publicações deverão ser arquivados no registro do comércio, e que ato do ministro da Economia disciplinará a forma de publicação e de divulgação dos atos relativos às companhias fechadas. Tanto as publicações de companhias abertas quanto as das fechadas não serão cobradas, diz a medida provisória.

As disposições da medida provisória já estão em vigor, mas só produzirão efeitos no primeiro dia do mês seguinte à data de publicação dos atos da CVM e do Ministério da Economia. A MP precisará de aval do Congresso e poderá perder sua validade caso não seja aprovada pelos parlamentares."


Plenário da Câmara começa a discutir reforma para 2ª votação


Deputados voltam a discutir reforma da Previdência

Fonte: R7

plenário da Câmara dos Deputados começou no início da noite desta terça-feira (6) a discussão em segundo turno da proposta de reforma da Previdência. Os parlamentares aprovaram a quebra do prazo de cinco sessões entre as votações em primeiro turno e em segundo turno para que a PEC possa ser votada ainda nesta terça-feira (6). A aprovação ocorreu em votação simbólica.
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, convocou outra sessão extraordinária que está em andamento para votar a proposta.
O primeiro turno da proposta foi concluído no dia 13 de julho. Na ocasião, o texto principal foi aprovado por 379 votos a 131. Em segundo turno, são necessários também 308 votos para aprovar a PEC, e os partidos podem apresentar somente destaques supressivos, ou seja, para retirar partes do texto.
A reforma da Previdência, na forma do substitutivo do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), aumenta o tempo para se aposentar, limita o benefício à média de todos os salários, eleva as alíquotas de contribuição para quem ganha acima do teto do INSS e estabelece regras de transição para os atuais assalariados.
Na nova regra geral para servidores e trabalhadores da iniciativa privada que se tornarem segurados após a reforma, fica garantida na Constituição somente a idade mínima. O tempo de contribuição exigido e outras condições serão fixados definitivamente em lei. Até lá, vale uma regra transitória.


Portal da transparência de LAJES/RN fora do ar:



'Todo esse trabalho da PF mostra que a ação anticrime de Moro está dando resultado'


Ministro da Justiça Sergio Moro. FOTO: José Cruz/Agência Brasil (Crédito: )

Fonte: CBN 

Merval Pereira acrescenta que isso fortalece a ideia de que o combate ao crime organizado se dá em várias frentes e não apenas na Lava-jato. Segundo ele, o ministro da Justiça anda colhendo bons frutos do trabalho da Polícia Federal, que depois de ter encontrado os hackers que invadiram celulares de autoridades, conseguiu recuperar dinheiro de lavagem, roubo e corrupção mais do que em todo o ano passado.


Petrobras anuncia lucro líquido recorde de R$ 18,9 bilhões no 2º trimestre


Plataforma de petróleo da Petrobras na Bacia de Campos, no RJ. Foto: Divulgação / Petrobras (Crédito: )

Fonte: CBN

O número é 368% superior ao do primeiro trimestre deste ano e é o maior resultado trimestral já registrado pela estatal. Mesmo assim, a companhia revisou a meta de produção para 2019.