sexta-feira, 17 de março de 2017

Ações de frigoríficos despencam e fazem bolsa encerrar com forte queda


Carnes no supermercado

Fonte: Ebc

A operação da Polícia Federal que desmontou um esquema de venda de carnes irregulares teve reflexos no mercado financeiro. Puxado pelas ações dos frigoríficos JBS e BRF, empresas acusadas de liderarem a fraude, o índice Ibovespa, da Bolsa de Valores de São Paulo, encerrou esta sexta-feira (17) com queda de 2,39%, aos 64.210 pontos. Essa foi a maior queda percentual desde 30 de janeiro, quando o índice caiu 2,62%.
Somente as ações da JBS (dona de marcas como Friboi e Seara) despencaram 10,59%. Os papéis da BRF (que opera marcas como Sadia e Perdigão) recuaram 7,25%. As ações da Petrobras, as mais negociadas, também contribuíram para o desempenho negativo. Os papéis ordinários (com direito a voto em assembleia de acionistas) caíram 3,69%. As ações preferenciais (com preferência na distribuição de dividendos) tiveram desvalorização de 4,01%.
Nesta sexta-feira, a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, desarticulou uma organização criminosa liderada por fiscais agropecuários que emitiam certificados sanitários sem fiscalização em troca de propina. Ao todo, cerca de 30 empresas fornecedoras de grandes frigoríficos estão sendo investigadas.
A turbulência no mercado de ações não afetou o câmbio. O dólar comercial encerrou o dia vendido a R$ 3,101, com baixa de 0,47%. A moeda começou o dia operando em alta, mas reverteu a tendência ainda durante a manhã. A divisa acumula queda de 0,4% em março e de 4,6% em 2017.
Edição: Denise Griesinger

PROPAGANDA É COM DUDÚ DA KOMBI