sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Governo vai reformar e entregar Central da Agricultura Familiar em Natal



O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape) e RN Sustentável, vai reformar e entregar aos agricultores familiares a Central de Comercialização da Agricultura Familiar em Natal/RN. A empresa CLN Locações e Serviços Ltda venceu a licitação elaborada pelo Executivo e no próximo dia 5 de fevereiro o contrato será assinado. A estimativa é que até o fim do primeiro semestre a Central esteja pronta. Com isso, o Governo do Estado acaba com uma espera de seis anos dos agricultores. A expectativa do secretário Haroldo Abuana é que, finalizada a assinatura do contrato, a construtora possa iniciar as obras imediatamente e até o fim do primeiro semestre a Central esteja pronta. “Temos a Central de Comercialização como prioridade máxima na secretaria e queremos entregar o equipamento aos agricultores familiares tão logo seja possível. Este foi um compromisso do governador com a categoria e os movimentos sociais. Com a Central, aqueles que sobrevivem do cultivo em família poderão vender seus produtos e fomentar ainda mais esta cadeia em nosso estado”, destaca. Fruto de uma parceria do Executivo estadual com o Ministério do Desenvolvimento Agrário, a Central foi inaugurada em 2010 sem estar pronta para uso e nunca chegou de fato a funcionar. Em 2015, o Governo do Estado por meio da Sape concluiu a construção de uma caixa d'água, sistema que faltava para que o equipamento conseguisse autorização do Corpo de Bombeiros para operar.     No entanto, com o desgaste e a depredação proporcionada pelos vândalos ao longo dos últimos anos, será necessário reconstruir parte da estrutura, reformar e instalar novamente fiação elétrica e equipamentos hidráulicos. Para isso, Sape e RN Sustentável trabalharam juntos na elaboração de um processo licitatório, que culminou com a CLN vencedora. Outra licitação, dessa vez para aquisição de equipamentos e mobília, foi finalizada pela Emater/RN, que aguarda agora a chegada dos objetos. De acordo com um estudo de viabilidade econômica elaborado pelo RN Sustentável, a Central de Comercialização irá beneficiar mais de 1.200 agricultores, que terão 35 boxes para vender seus produtos. A estimativa é que, quando estiver em pleno funcionamento, a Central comercialize uma média de R$ 313 mil por mês, com a venda de 170 toneladas de produtos. Ocupando uma área de cinco mil metros quadrados ao lado da Ceasa/RN, o equipamento possui área construída de 2,7 mil metros quadrados e 78 vagas de estacionamento