sábado, 6 de fevereiro de 2016

PF cumpre mandados para apurar fraudes em licitações da Agevap



Fonte: G1

A Polícia Federal cumpriu, nesta quinta-feira (4),13 mandados de busca e apreensão em cidades dos estados de São Paulo, Espírito Santo e Rio de Janeiro.
A operação Águas Turvas teve como objetivo dar seguimento à investigação do Ministério Público Federal sobre possíveis fraudes em contratos e licitações da Associação Pró Gestão das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (Agevap).
Documentos e computadores foram encaminhados para perícia. Houve apreensões em Resende(RJ), Rio de Janeiro, São José dos Campos (SP), Taubaté (SP) e Vitória (ES)."Nós instauramos inquérito para apurar a questão criminal. Porque foram identificados possíveis crimes de fraude a licitações, corrupção ativa e passiva. Duas empresas participavam dos procedimentos licitatórios e sempre uma que vencia a concorrência. Profissionais que trabalhavam em uma empresa também estavam ligado ao quadro da outra empresa. Indícios fortes que essas empresas atuariam em comum, visando burlar os procedimentos licitatórios", disse o chefe da Polícia Federal em Volta Redonda, RJ, Adriano Gechele de Freitas.
Os envolvidos também vão responder por corrupção ativa e passiva. O nome das empresas não foi divulgado para não atrapalhar o curso das investigações. "Está sendo apurado. A investigação vai prosseguir. Todos os materiais arrecadados vão ser analisados e periciados para que se confirme ou não a existência, a prática desses crimes", explicou Adriano Gechele.
A Agevap informou, em nota, que as investigações são referentes a atos da gestão anterior. Confira a íntegra:
"Diante das notícias veiculadas pela imprensa no dia 04/02/2016, a AGEVAP vem a público esclarecer que a instituição AGEVAP não é alvo de nenhuma investigação, seja por parte do Ministério Público, seja por parte da Polícia Federal.

Existe uma investigação em curso para apurar possíveis irregularidades cometidas por um gestor da AGEVAP, na gestão passada. Assim, entendemos que não é devido um julgamento à instituição AGEVAP pelo possível erro de um único gestor, visto que a referida instituição presta serviços na área de gestão de recursos hídricos desde o ano de 2002 e nunca esteve envolvida em qualquer ato ilícito.

A AGEVAP é composta por quarenta profissionais de carreira, tecnicamente capacitados, aprovados em processo seletivo, que sempre prestaram serviços de excelência na área de recursos hídricos e que não podem ser julgados e responsabilizados por supostos atos, cometidos por uma única pessoa."