segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Teresina é considerada a capital mais desenvolvida do Nordeste


Fonte: Notícias o olho

Teresina é a capital mais desenvolvida do Nordeste e a 12ª do Brasil, segundo pesquisa da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). O índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) considera indicadores nas áreas de educação, saúde e emprego e renda e tem como base os dados consolidados de 2013. Foi analisado o nível de desenvolvimento econômico dos mais de 5 mil municípios brasileiros

O índice varia de 0 a 1 e, quanto mais próximo de 1, melhor é o desenvolvimento da cidade. Na avaliação geral, Teresina obteve nota 0,7813. Na área da saúde, a nota da capital piauiense foi de 0.7814. A educação, foi de 0,7816 e, no quesito emprego e renda, o índice obtido foi 0,7809. Isso significa que Teresina possui, de acordo com a pesquisa, um desenvolvimento moderado em todos os pontos analisados.

Para o prefeito Firmino Filho, a posição ocupada por Teresina no cenário nacional é motivo de orgulho e resultado de todos os esforços da administração. “É importante perceber que as medições que são feitas externamente por instituições renomadas reconhecem os avanços que a cidade tem tido, principalmente na área de saúde e de educação”, disse o chefe da administração municipal.

O prefeito faz referência também aos estudos do Banco Mundial, que apontou Teresina como das cidades mais competitivas da América Latina, e da Folha de São Paulo, destacando a capital piauiense como a 12ª cidade brasileira em investimentos.
Prefeito Firmino Filho comemora (Foto: João Brito Jr / O Olho) 
Pesquisa Firjan 
A Firjan calcula o índice de educação pelo número de matrículas no ensino infantil, a média de aulas diárias e o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação (Ideb) no ensino fundamental. Em 2014, por exemplo, Teresina obteve a maior nota entre as capitais nordestinas. Nas séries iniciais, 4ª e 5ª, a cidade obteve nota 5, superando a meta estipulada pelo Ideb, que é de 4,9. Outro ponto destacado na educação de Teresina é o número de crianças matriculadas nas séries iniciais. Em 2015, foram 17 mil alunos no ensino fundamental, fazendo com que Teresina cumprisse, antecipadamente, a meta 1 do Plano Nacional de Educação.

Quanto à saúde, o índice é calculado com base no número de consultas pré-natal, óbitos por causas mal definidas, óbitos infantis por causas evitáveis e número de internações sensíveis à atenção básica (ISAB). Em 2015, por exemplo, foram agendados 1 milhão, 815 mil e 554 consultas, exames e cirurgias ambulatoriais por meio do sistema de marcação Gestor Saúde.

Quanto ao índice emprego e renda, o índice leva em conta o quanto a cidade gera de empregos formais, sua capacidade de absorver a mão de obra local, quanto de renda formal é gerada, os salários médios e a desigualdade social. Em Teresina, durante o ano de 2015, foram criados com 5.928 postos de trabalho, sendo 4.253 através das empresas de Call Center, setor que recebeu importantes incentivos fiscais da Prefeitura de Teresina.