segunda-feira, 15 de maio de 2017

Macron e Merkel se dizem abertos a mudanças na UE


Antrittsbesuch des französischen Präsidenten Macron (picture alliance/dpa/M.Kappeler)

Fonte: DW 

A chanceler federal alemã, Angela Merkel, recebeu em Berlim na tarde desta segunda-feira (15/05) o recém-empossado presidente da França, Emmanuel Macron. Ele assumiu o cargo no domingo, e é tradição entre os líderes franceses que a primeira visita internacional seja à Alemanha.
Macron foi recebido em frente ao prédio da chancelaria alemã com honras militares e um aperto de mão da chefe de governo, que saudava o quarto presidente francês em seus 12 anos à frente da Alemanha. Os líderes participaram de uma reunião e tinham um jantar marcado para esta noite.
Em pronunciamento à imprensa ao lado de Merkel, Macron – que tem apresentado um programa abertamente pró-europeu – afirmou que trabalhará estreitamente com o governo alemão no desenvolvimento de um "roteiro" de reformas para a União Europeia (UE) e a zona do euro, acrescentando que "reformas profundas são necessárias e exigem um trabalho conjunto".
Merkel, por sua vez, disse que a Alemanha está preparada para discutir uma alteração dos tratados da UE caso seja necessário para a implementação de reformas no bloco. Para a chanceler federal, os países europeus não deveriam se posicionar contra eventuais mudanças nos tratados. "Uma União Europeia que se comporta dessa forma se tornaria vulnerável em todos os cantos do mundo", disse ela.
A líder alemã, no entanto, deixou claro que tais alterações ainda não estão sendo discutidas. "Primeiro precisamos trabalhar naquilo que queremos mudar. Então, caso seja necessário uma alteração nos tratados, estaremos preparados para isso." Macron disse que a França tem a mesma opinião.
Na reunião desta segunda-feira também foi assunto de discussão um fortalecimento das relações entre Berlim e Paris. Merkel declarou que os interesses dos dois países estão fortemente ligados e saudou um "novo dinamismo" nas relações bilaterais com a eleição do novo presidente.
"Cada um de nós representa os interesses de nossos países, mas os interesses da Alemanha estão naturalmente e estreitamente ligados aos interesses da França", disse Merkel. "A Europa só será bem-sucedida se houver uma França forte, e eu estou comprometida com isso", acrescentou a líder, afirmando ainda ser uma honra receber o presidente francês em seu primeiro dia de governo.
O político de 39 anos foi eleito presidente francês no dia 7 de maio, tornando-se o primeiro candidato independente a alcançar o cargo na França, bem como o mais jovem presidente eleito do país. Ele derrotou a candidata populista de direita Marine Le Pen com 66% dos votos, contra 34%.
Na ocasião, a chanceler federal alemã celebrou a vitória do novo colega, dizendo que ele "carrega a esperança de milhões de cidadãos franceses e também de muitos na Alemanha e em toda a Europa".
Segundo um assessor de Macron, Merkel foi "a primeira entre os líderes estrangeiros a ligar para ele, dada a importância das relações entre os dois países para a retomada do projeto europeu".
A visita de Macron a Berlim ocorre na sequência de uma grande vitória, neste fim de semana, para a União Democrata Cristã (CDU), partido de Merkel, nas eleições regionais do estado da Renânia do Norte-Vestfália, confirmando tendência que pode levá-la a conquistar um quarto mandato.

Nenhum texto alternativo automático disponível.